Províncias

Novas unidades reforçam cuidados médicos

Valter Gomes | Bembe

Os dois hospitais de referência em construção nos municípios de Cangola e Bembe, na província do Uíge, vão garantir melhorias significativas na assistência médica e medicamentosa às populações residentes nestas localidades e não só.

Assistência médica vai melhorar significativamente com a conclusão das obra do hospital
Fotografia: Mavitidi Mulaza

Em Cangola, o hospital regional vai contar com áreas de internamento com capacidade para 370 camas, uma oferta que, de acordo com o director municipal da saúde, Domingos Luzembo, implica a contratação de mais de 600 trabalhadores, entre enfermeiros, médicos, catalogadores, maqueiros e auxiliares de limpeza.
O actual centro municipal, salientou o responsável, não tem capacidade para atender a procura de pacientes, uma vez que muitos deles são provenientes da província de Malange.
As obras do hospital regional tiveram início no ano passado e ficam concluídas em 2016.
A entrada em funcionamento desta unidade vai permitir que muitos casos graves, actualmente transferidos para o Hospital Central do Uíge, passem a ser tratados localmente.
O sector da Saúde em Cangola dispõe de 32 enfermeiros, distribuídos por 13 unidades sanitárias, entre postos e centros de saúde. A falta de técnicos continua a ser o grande problema. No próximo ano vão ser construídas mais unidades nas regedorias de Matamba, Cahuca e Tondamassango. Este ano, as atenções estão voltadas para o desenvolvimento do Programa de Vigilância Epidemiológica, combate à malária e à sida, a par da melhoria dos serviços de PAV e de saneamento do meio.

Hospital do Bembe

O novo hospital municipal do Bembe, que está a ser construído no âmbito do Programa de Melhoramento dos Serviços Municipais de Saúde, fica concluído no próximo ano, disse ao Jornal de Angola o director municipal do sector da Saúde.
Diambo António explicou que as obras do hospital regional decorrem desde o ano passado e caminham para a recta final.
Com 200 camas para internamento, o hospital regional vai ter banco de urgência, área de cirurgia, ortopedia, imagiologia, radiografia, hemoterapia e outros serviços. O município já dispõe de um centro com capacidade para 45 camas de internamento, que possui serviços de pediatria, banco de urgência, laboratório de análises clínicas, área da saúde reprodutiva, sala de partos, consultas pré-natais, área de tuberculose e Programa Alargado de Vacinação.  
Diambo António explicou que o sector é composto por 21 unidades sanitárias, sendo cinco centros e 16 postos de saúde. No Bembe trabalham apenas 30 enfermeiros efectivos, 28 contratados e um médico estrangeiro.
Para o próximo ano, a direcção provincial  da saúde, em colaboração com a Administração Municipal do Bembe, tem prevista a construção de seis novos centros e alguns postos de saúde nas localidades de Luquisi, na comuna de Quimaria, e nas aldeias de Manguvo, Manzau e WUando Nsundi.

Tempo

Multimédia