Províncias

Novos professores no ensino primário

António Capitão | Negage

Professores formados pela Escola de Professores do Futuro (SPF) da organização não governamental Ajuda de Povo para Povo (ADPP) no Negage receberam os seus diplomas de fim de curso em ciências de educação para o ensino primário.

Professores formados pela Escola de Professores do Futuro (SPF) da organização não governamental Ajuda de Povo para Povo (ADPP) no Negage receberam os seus diplomas de fim de curso em ciências de educação para o ensino primário.
Os 75 novos professores frequentaram durante dois anos e meio o ciclo formativo baseado em aulas práticas e teóricas de didáctica e pedagogia e ainda sobre métodos e conteúdos académicos relacionados com o plano curricular vigente no programa de reforma educativa para o primeiro nível adoptado pelo Ministério da Educação, Ciência e Tecnologia.
Os referidos professores vão contribuir para o  melhoramento do processo de ensino e aprendizagem neste nível de instrução.
Domingos Correia, de 23 anos, é um dos finalistas. O jovem valorizou a formação e disse estar capacitado para transmitir os conhecimentos que adquiriu e ajudar o Executivo a atingir os Objectivos Milénio através da erradicação do analfabetismo nas comunidades.
 “A última fase da nossa formação é um estágio em escolas públicas das comunidades. Fiquei a dar aulas durante nove meses no município de Maquela do Zombo e pretendo voltar lá como professor, visto que a maior parte dos finalistas deste ciclo formativo foram admitidos no concurso público de ingresso realizado no ano passado”, disse o responsável.
Domingos Correia defendeu a necessidade de dar prioridade à contratação de docentes formados pelas escolas de formação de professores da Ajuda de Povo para Povo nas instituições públicas tendo em conta a especificidade das suas formações em conteúdos relacionados com o ensino primário e a capacidade que possuem para trabalharem no meio rural.
A professora Ilda Esperança, 22 anos, deixou a terra natal, Moxico, e familiares há mais de dois anos para frequentar o curso de professora primária na Escola de Professores do Futuro, no Negage. Está determinada a regressar à sua província com o propósito ensinar as crianças da sua comunidade.
 “Sempre gostei de partilhar os meus conhecimentos com outras pessoas por isso decidir ser professora. Como não bastava apenas ser apaixonada ou ter vocação para a profissão sem ter uma formação específica que me pudesse dotar de conhecimentos e técnicas suficientes, decidi fazer esta instrução”, referiu Ilda Esperança.
 O director da Escola de Professores do Futuro, no Negage, Mpaca Garcia, reafirmou o compromisso da sua instituição em continuar a formar docentes para a província e o país com vista a reforçar os laços de parceria com o Ministério da Educação e contribuir para um ensino primário de qualidade, tendo em conta que é neste nível de ensino onde são lançados os alicerces para a existência de quadros superiores bem qualificados.
Mpaca Garcia disse que em 2010 a escola colocou no mercado de trabalho 110 professores, enquanto mais de 100 alunos frequentam a formação com previsão de concluírem o ciclo formativo em 2014.
 O director provincial em exercício da Educação do Uíge, Mendes Lisboa, destacou o contributo prestado pela Escola de Professores do Futuro da Ajuda de Povo para Povo na formação qualitativa e quantitativa de professores jovens e dispostos a darem o seu contributo para a formação de muitos angolanos, que vivem nas aldeias, comunas e municípios.
Mendes Lisboa referiu que para além de contribuírem para o combate ao analfabetismo e para melhorar o processo de ensino e aprendizagem no primeiro nível, estes profissionais vão ajudar as autoridades locais no programa de combate à pobreza.
“Para o desenvolvimento das comunidades é necessário que existam profissionais dotados de técnicas e conhecimentos académicos para poderem compreender e executar as actividade com perícia e dinâmica ” sublinhou.
O director provincial da Educação defendeu a necessidade dos novos professores pautarem sempre por condutas dignas e de realce para prestígio do sector .

Tempo

Multimédia