Províncias

Número de seropositivos aumenta no Uíge

Valter Gomes | Uíge

A província do Uíge registou, de Janeiro a Outubro deste ano, 562 casos de seropositivos, dos quais 12 terminaram em morte, um aumento significativo em relação ao ano anterior, anunciou o coordenador do Programa de Luta contra o VIH/Sida.

Membros do Governo Provincial e do Programa de Luta contra o sida traçam novas estratégias para se evitar a propagação da doença
Fotografia: António Capitão | Uíge

Os municípios do Uíge, Negage, Sanza Pombo, Damba e Maquela do Zombo são as localidades com mais casos positivos.
José Maielano explicou que nos últimos anos a coordenação do Programa de Luta contra o VIH/Sida, em colaboração com a direcção provincial da Saúde, instalou, em todos os municípios da província, Centros de Aconselhamento e Testagem Voluntária, onde também são desenvolvidos os programas de corte de transmissão vertical (que permite a seropositivas darem à luz bebés saudáveis) e outros que permitem a milhares de pessoas conhecerem o seu estado serológico.
“Regista-se uma grande adesão da população aos centros instalados nas diversas unidades sanitárias, por isso a nossa intenção, para o próximo ano, é fazê-los chegar às comunas”, disse.
 Outra aposta tem a ver com a entrada em funcionamento dos serviços de testagem voluntária em todas as salas de parto. “Neste momento, a província do Uíge está com uma prevalência de 0,3 por cento, mas isso não é uma vitória. É preciso trabalharmos cada vez mais na sensibilização da população, para que esta taxa não atinja níveis mais alarmantes”, referiu. Nesse sentido, aconselhou a população, sobretudo a juventude, a pôr a mão na consciência e reduzir significativamente o consumo excessivo do álcool e drogas, uma vez que a pessoa embriagada ou drogada corre o risco de se envolver com qualquer indivíduo sem protecção.
A directora provincial da Saúde, Luísa Fernando Cambuta, disse que a situação do VIH na província ainda é preocupante, por isso pediu a participação de todos na luta contra a doença. “Queremos sensibilizar a população no sentido das pessoas se prevenirem cada vez mais contra o VIH/Sida, fazendo testes regulares, e acatarem as orientações dos profissionais de saúde, uma vez que a doença continua a fazer muitas vítimas”, afirmou.

Tempo

Multimédia