Províncias

Obras decorrem em ritmo acelerado

José Bule e Valter Gomes | Uíge

Os trabalhos do Projecto Habitacional e de Infra-estruturas Integradas do Catapa, na periferia da cidade do Uíge, decorrem a bom ritmo, constatou o governador Paulo Pombolo.

Governador Paulo Pombolo avaliou o andamento dos trabalhos do projecto habitacional que está a ser erguido nos arredores da cidade o Uíge
Fotografia: José Bule | Uíge

As obras iniciadas em finais de Julho do ano passado contemplaram já o loteamento e a terraplenagem dos arruamentos, instalação dos sistemas de águas fluviais e canalizada e de energia eléctrica, além de outros serviços de apoio.
O coordenador do projecto, engenheiro António Vicente, forneceu explicações detalhadas sobre o andamento dos trabalhos, cujo término está previsto para o mês de Outubro deste ano.
O projecto da nova urbanização está a ser executado no âmbito da requalificação do Uíge e criação de novas centralidades.
“Estamos a trabalhar com o Ministério do Urbanismo para a efectivação das obras desta área, visto que é uma zona nobre e com todas as infra-estruturas necessárias para o conforto da população, principalmente para a juventude”, referiu o responsável do projecto.
O governador aconselhou os cidadãos que insistem em construir moradias à volta do projecto habitacional a abandonarem a área e a procurarem zonas indicadas para o efeito.
“Não queremos expulsar ninguém de forma compulsiva. Constatamos que há cidadãos que na calada da noite constroem moradias de forma ilegal neste local. Vamos contrapor esta situação, a partir da nossa Administração Municipal, que vai ter a missão de realojar estes moradores”, disse o governador.
O director provincial do Urbanismo e Habitação, Seluyequi Manuel, disse que as acções de arruamento e de instalação dos diferentes serviços técnicos estão bem delineadas e que o desenrolar da sua execução está a ser acompanhado de forma rigorosa.
“Vamos ter aqui infra-estruturas habitacionais, serviços comerciais, escolas, creches e outros serviços sociais e depois da conclusão das obras vão ser estabelecidas as modalidades a seguir para a aquisição de terrenos, moradia ou serviços sociais no projecto habitacional em causa”, disse.
“É um projecto ambicioso, de baixa e média renda, que vai ajudar sobretudo a juventude no alcance de uma casa própria, com vista ao seu bem-estar social”, referiu.
O chefe do Departamento Provincial da Juventude e Desportos, Armindo da Silva, afirmou que o projecto habitacional do Catapa vai contribuir bastante na massificação das modalidades desportivas na província, visto que no local estão a ser erguidas algumas infra-estruturas para o efeito.
“No projecto estão a ser construídos ginásios multiuso, para a ocupação dos tempos livres da juventude, campos de futebol e outros espaços recreativos, no sentido de proporcionar bons momentos de lazer aos habitantes”, concluiu.

Um projecto ambicioso

O Ministério do Urbanismo e Habitação adjudicou à Angolaca, empresa de direito angolano, a execução das infra-estruturas básicas na Reserva Fundiária do Catapa, na cidade do Uíge.
Disse que o referido projecto está a ser desenvolvido num espaço de 100 hectares e insere-se no Plano Nacional de Desenvolvimento 2013-­2017, que visa criar condições, através de loteamentos para a construção de redes técnicas de saneamento, electricidade, abastecimento de água e arruamentos.
Estes projectos vão permitir aos cidadãos interessados construírem de modo organizado, enquanto os investidores privados do ramo imobiliário implementam outros projectos viáveis.
No projecto habitacional da localidade de Catapa estão a ser instaladas 297 colunas para iluminação pública e um centro de distribuição de água, que funciona com duas estações de tratamento.

Tempo

Multimédia