Províncias

Obras em curso nas estradas de toda a província

José Bule| Uíge

O Governo do Uíge continua preocupado em melhorar as condições de vida da população.

As ligações por estrada entre os 16 municípios da província do Uíge estão cada vez mais facilitados
Fotografia: Filipe Botelho

O Governo do Uíge continua preocupado em melhorar as condições de vida da população. A circulação rodoviária está mais fácil com a recuperação de grandes extensões de estradas, o que permite um mais rápido e menos oneroso escoamento dos produtos agrícolas para os grandes centros de consumo.
A rede hoteleira da província também cresce a um ritmo elevado e o abastecimento de energia eléctrica e água potável chega a um maior número de cidadãos.
O sector industrial dá mostras de reanimação. Tudo junto permite uma vida melhor aos habitantes da provincia. 
A livre circulação de pessoas e bens já é um facto ao longo da estrada que liga o Negage ao Bungo, 31 de Janeiro e Damba. São 117 quilómetros de estrada asfaltada em excelentes condiçõews.
As obras na estrada que liga o Uíge ao Mucaba, Damba e  Maquela do Zombo, com 251 quilómetros, começaram em 2006 e devem estar concluída em 2011. Outra obra em curso é a da estrada que sai do Negage para o Quimbele, passando pelas sedes municipais do Púri e Sanza Pombo, e pela sede comunal de Macocola, município de Cangola. A estrada, cujas obras começaram em 2008, tem uma extensão 218 quilómetros. 
Estão a decorrer trabalhos em 194 quilómetros da estrada entre o Negage e o Lucala. Na província do Uíge estão em curso 972 quilómetros de estradas, no âmbito do programa do Executivo. Em 2005, começaram as obras de reabilitação da Estrada Nacional Nacional entre Kifangondo, Caxito, Uíge eNegage, com 371 quilómetros, 186 dos quais correspondem à província do Uíge, desde a ponte do rio Dange, zona limítrofe com a província do Bengo, até ao município do Negage.

Serviços de hotelaria

O sector hoteleiro ganhou outro rumo. A guerra impedia o progresso do sector, mas agora, depois da conquista da paz, vários projectos hoteleiros estão a ser executados. Nos últimos anos foram construídos 10 novos hotéis, oito pensões residenciais, igual número de restaurantes e 187 bares.
Uma nova unidade hoteleira de referência, o Hotel Kwango, localizado na estrada que liga a cidade do Uíge ao Songo, é inaugurado nos próximos dias. O empreendimento tem 120 quartos e um condomínio habitacional. 
 No final deste mês de Novembro, os municípios do Uíge, Maquela do Zombo e Negage começam a receber energia eléctrica a partir da barragem hidroeléctrica de Capanda.
Os trabalhos, que consistem na montagem da linha de transporte e construção das subestações, estão já concluídos.
Nesta altura o Governo Provincial desenvolve esforços para que, no próximo ano, a energia eléctrica proveniente da barragem hidroeléctrica de Capanda, na província de Malange, seja transportada também para os municípios do Bungo, Damba, Púri, Sanza Pombo, Milunga e Quimbele.
O Governo projectou a construção de 37 mini hídricas para fornecer energia eléctrica aos municípios que não vão ser abastecidos pela barragem de Capanda.
Oito destes projectos já foram aprovados pelo Ministério da Energia e Águas.
A antiga estação de tratamento, captação e distribuição de água da cidade do Uíge, construída no período colonial, produzia seis mil metros cúbicos de água. A capacidade era insuficiente para satisfazer as necessidades dos 500 mil habitantes. Para minimizar a situação, o Governo construiu, recentemente, uma nova estação com capacidade para produzir oito mil metros cúbicos. São agora, no total, 14 metros cúbicos de água produzidos, que beneficiam mais de 200 mil habitantes do Uíge.
As populações de algumas sedes municipais e comunais, aldeias e regedorias, também já têm água potável. O Governo Provincial, em parceria com ONG e a UNICEF, construíram sistemas de captação e distribuição de água potável nas comunidades.
O “Projecto Água Para Todos” já chegou a algumas localidades dos municípios de Cangola, Púri, Songo, Bembe e Quitexe. Nas localidades de Nsosso (Damba), Quibocolo (Maquela do Zombo), Kinvuenga (Songo), Quisseque e Dimuca (Negage), Aldeia Quisseque Novo (Púri), Cuilo Pombo (Sanza Pombo), Lucunga (Bembe) e na sede municipal dos Buengas, o projecto está em curso. O objectivo é melhorar a condição de vida dos habitantes destas localidades.

Relançamento da indústria
 
O Executivo elaborou um programa de relançamento do sector industrial no Uíge. Na província o programa vai abranger os 16 municípios. O Negage, que vai albergar o pólo industrial da província, foi eleito como ponto de partida desta grande empreitada. 
Ainda no Negage, o Executivo pretende construir uma fábrica de chapas de zinco, uma serração, uma cerâmica, uma fábrica de produção de sumos e outra de tintas e vernizes. Negage conta já com uma cerâmica privada com capacidade para produzir mais de oito mil tijolos dia.
Actualmente, uma empresa angolana investe mais de dez milhões de dólares para a construção de quatro unidades industriais, cujas obras prosseguem até ao ano de 2014. Uma das unidades vai produzir colchões de espuma e material de espuma para uso industrial, enquanto a outra deve produzir material de plástico para uso doméstico e industrial e tubos para a construção civil.
A população do Uíge tem tudo para voltar a sorrir. Está em marcha acelerada a reconstrução de uma província que estava muito destruída. Uíge “corre” para voltar a ocupar o lugar que lhe pertence.  Os mais de dois milhões de habitantes da província acreditam numa vida melhor.

Tempo

Multimédia