Províncias

Obras impulsionam o desenvolvimento

Valter Gomes | Uíge

Quitexe é hoje a porta de entrada para quem vai ao Uíge, passando pela província do Bengo. Com as estradas reabilitadas e asfaltadas, circular no município passou a ser fácil e permitiu a introdução de melhorias em todos os sectores essenciais.

Um pormenor do município que aos poucos muda de imagem para satisfação dos seus habitantes que acompanham os projectos em curso
Fotografia: Filipe Botelho

Quitexe é hoje a porta de entrada para quem vai ao Uíge, passando pela província do Bengo. Com as estradas reabilitadas e asfaltadas, circular no município passou a ser fácil e permitiu a introdução de melhorias em todos os sectores essenciais.
O escoamento dos produtos cultivados na localidade é agora feito com facilidade. Os alunos já não percorrem grandes distâncias para frequentar as aulas do ensino primário, do primeiro e segundo ciclos do ensino secundário.
 Antigamente, devido à carência de escolas, os alunos estudavam apenas até à 8ª Classe. Para darem sequência aos estudos, eram obrigados a ir para outras localidades, para frequentar o ensino médio.
O município dispõe de uma antena da Unitel que oferece cobertura da rede de telemóvel, num raio de acção de mais de 30 quilómetros. Além do Centro de Produção da Rádio Nacional de Angola, instalado na localidade, os funcionários públicos e comerciantes do Quitexe beneficiam dos serviços de uma agência do banco Banco Internacioanl de Crédito (BIC), que está a facilitar o pagamento de salários e outras operações financeiras.
No Quitexe, as obras de construção de 200 fogos habitacionais e de 50 casas evolutivas decorrem a ritmo acelerado, o que vai proporcionar, nos próximos dias, melhor acomodação da população local.

Munícipes satisfeitos

Vladmiro Figueiredo, de 28 anos, disse ao Jornal de Angola que antes as vias de acesso estavam totalmente degradadas.
Os automobilistas tinham dificuldades em circular à vontade, o que complicou a vida dos habitantes.“Felizmente, a situação é hoje completamente diferente. Por exemplo, a nossa população está a produzir muito e não tem problemas em escoar os produtos que cultiva. As vias de acesso estão em perfeitas condições”, afirmou.
O funcionário público José Sadraque Vendas afirmou que os programas e projectos do Executivo nos mais diversos sectores estão a produzir efeitos positivos na vida dos habitantes do Quitexe.
 “A vila já conta com vários postos, centros médicos, escolas e outras infra-estruturas. A escuridão nas residências e nas ruas do município fazem parte do passado. Estamos a receber luz eléctrica, através de um grupo gerador de grande capacidade. A água é canalizada e estão a ser construídas 200 residências que vão minimizar a carência habitacional”, reconheceu.
Antigamente, lembrou, a comunicação era feita por carta ou pequenos bilhetes.
“Era um atraso grande, porque a carta enviada levava muito tempo para chegar ao destinatário. Mas, com os avanços tecnológicos, já é possível falar com o mundo a partir do Quitexe, através da operadora Unitel. Zeca Tomás, comerciante, disse que antigamente fazia o seu comércio na cidade do Uíge, mas devido aos avanços que o município está a registar decidiu instalar-se na sede municipal, onde a evolução e a procura de produtos industriais é cada vez maior.
“Vendo todo o tipo de produtos alimentares e bens industriais, como roupa, calçado, bebidas alcoólicas, refrigerantes e outros produtos  essencial para á população”.
De 1990 até ao ano 2000, disse o negociante, o comércio no Quitexe era monótono, o que obrigava os habitantes a arriscarem as suas vidas, viajando em cima de camiões até à cidade do Uíge, onde adquiriam os produtos de que necessitavam.

Tempo

Multimédia