Províncias

Obras travam progressão de ravinas

Valter Gomes | Maquela do Zombo

Os trabalhos de estancamento da ravina de grandes dimensões que ameaçava cortar a Estrada Nacional 220, na comuna do Quibocolo, município de Maquela do Zombo, decorrem em bom ritmo, constatou, na terça-feira, o Jornal de Angola.

A ravina punha em risco a vida da população residente e de milhares de automobilistas que circulam na Estrada Nacional 220
Fotografia: Jornal de Angola

Antes do início dos trabalhos, a Administração Comunal de Quibocolo restringiu o tráfego rodoviário, na faixa que apresentava riscos de desabamento. O ravina atinge 400 metros de extensão, 25 metros de largura e 70 metros de profundidade e neste momento já foi na quase totalidade coberta com pedra, brita e terra. Uma vala de drenagem está a ser construída para evitar problemas idênticos no futuro.
A Administradora Comunal do Quibocolo, Amélia Virgínia, disse que se os trabalhos de estancamento da ravina demorassem, a comuna ficava isolada do resto do território municipal. “Agradecemos os esforços do Executivo, porque não era apenas a população residente que estava em risco, mas também milhares de automobilistas que circulam na Estrada Nacional 220, sobretudo os que saem do Uíge para Maquela do Zombo até à fronteira com a República Democrática do Congo”.
Mafuila António, proprietário de uma das casas próximas da ravina, elogiou a pronta intervenção do Executivo, visto que a dimensão do buraco ultrapassava a capacidade da administração local e colocava em risco a vida de muitos habitantes e automobilistas.  “A ravina representava uma grande ameaça para todos nós. Ela não nos deixava dormir tranquilos, porque as chuvas não paravam. Estamos satisfeitos com o trabalho desenvolvido aqui, visto que dentro de dias os nossos filhos podem brincar à vontade e os automobilistas vão circular  sem constrangimentos”.
O soba da comuna do Quibocolo, Domingos Eduardo, disse que a população da região nunca deixou de acreditar na capacidade de intervenção do Governo. “A ravina parecia insuperável e o medo da população era enorme. Mas actualmente quem vive ao redor da ravina ou quem circula nessa estrada já respira de alívio”.
A ravina de Quibocolo é um dos 25 abismos identificados até 2012 na província do Uíge “com carácter de intervenção de emergência”. O resultado do levantamento foi remetido pelo Governo Provincial ao Ministério da Construção. Outra ravina, com cerca de 80 metros de profundidade, 100 metros de largura e 150 metros de extensão, situa-se entre as localidades de Quimbunga e Quicazeze, a cinco quilómetros de Quibocolo, preocupa as autoridades locais.
A referida ravina, devido às enxurradas, aproxima-se do asfalto e está apenas a quatro metros da Estrada Nacional 220, reabilitada e asfaltada em 2008.

Tempo

Multimédia