Províncias

Planeamento familiar regista grande adesão

Kayila Silvina | Mbanza Congo

Um total de 1.564 mulheres em idade fértil aderiram, entre Janeiro e Abril deste ano, aos serviços de planeamento familiar no Centro Materno-infantil de Mbanza Congo, na província do Zaire.

A responsável municipal para a área das consultas pré-natal e planeamento familiar do Centro Materno-infantil de Mbanza Congo, Feliciana Nkiambote, disse que o aumento da adesão deve-se às campanhas das autoridades sanitárias nas comunidades.
Feliciana Nkiambote afirmou que o planeamento familiar é um método que contribui para a promoção da saúde das mulheres e das crianças, na medida em que as gravidezes são devidamente programadas, evitando que uma mãe tenha filhos de forma sequencial.
O responsável do centro materno-infantil de Mbanza Congo, Paulo Bento, defendeu a realização contínua de campanhas de sensibilização, para alertar as famílias da necessidade de aderirem aos programas de saúde reprodutiva, que asseguram a saúde das mães e dos bebés. Paulo Bento explicou que, em média, a unidade sanitária atende 90 mulheres grávidas, nas áreas de consultas pré-natal,   vacinação e aconselhamento sobre o planeamento familiar.
O responsável do centro materno-infantil de Mbanza Congo disse que entre as mulheres grávidas que acorrem ao centro existem muitas portadoras do vírus da Sida.
Estas mulheres são submetidas a um tratamento específico, denominado corte de transmissão vertical, para impedir a transmissão do vírus da doença da mãe para o bebé. Na unidade clínica são administrados vários tipos de vacinas, no âmbito do Programa Alargada de Vacinação (PAV), quer para mulheres quer para crianças.
A assistência médica e medicamentosa é assegurada por 23 enfermeiros de níveis básico e médio, que auxiliam duas médicas.
O Centro Materno-infantil de Mbanza Congo conta actualmente  com áreas administrativas, banco de urgência, consulta externa e pré-natal, maternidade, puericultura, tuberculose, obstetrícia e testagem voluntária do HIV/Sida.

Tempo

Multimédia