Províncias

População com mais água potável

Valter Gomes | Uíge

O sistema de distribuição de água da localidade do Quitoque, no município do Dange Quitexe, na província do Uíge, construído na época colonial, beneficiou recentemente de obras de reabilitação e ampliação.

Novos sistemas de captação e distribuição de água potável são postos pelo Governo à disposição da população em comunidades da província do Uíge
Fotografia: Valter Gomes | Uíge

A intervenção contemplou a construção de um tanque com capacidade para 35 mil litros cúbicos, três lavandarias e seis chafarizes. O sistema produz mais de 25 mil litros de água por hora.
O soba da localidade, Domingos Culenda, afirmou que a requalificação da rede de distribuição de água potável melhorou as condições de vida dos habitantes, que agora têm água todo o dia.
A autoridade tradicional elogiou as acções do Governo, destinadas a melhorar a qualidade de vida da população e lembrou que, durante os longos anos que o sistema ficou inactivo, a população era obrigada a percorrer vários quilómetros.
Domingos Culenda disse que a falta de energia eléctrica constitui a principal preocupação da população, sobretudo porque, nos últimos dias, se tem verificado a presença de alguns elementos estranhos, que roubam animais durante a noite.
No Quitoque, o Governo construiu um posto de saúde com capacidade para internar oito pacientes, consultório, sala de enfermagem e uma farmácia.
 “Fruto do profissionalismo demonstrado pelos dois enfermeiros que asseguram o funcionamento do posto, nunca mais nos deslocámos para outras localidades em busca de assistência médica, como acontecia antigamente, porque aqui mesmo estamos a receber um tratamento adequado”, disse o soba.
Domingos Culenda afirmou que os serviços de assistência médica e medicamentosa estão a contribuir significativamente para a redução da mortalidade. As doenças diarreicas e respiratórias agudas, a malária e as infecções da pele são as mais frequentes.

Alunos melhor acomodados

No domínio da educação, a localidade possui cinco salas que oferecem óptimas condições de acomodação aos mais de 380 alunos matriculados, da iniciação à 6ª classe. As aulas, segundo o soba, são asseguradas por 28 professores.
O soba disse que o número de professores e de salas são insuficientes. "Precisamos de pelo menos mais 20 professores e seis salas, para permitir que o I Ciclo entre em funcionamento na aldeia Quitoque", alertou.
“Muitos alunos que terminam a 6ª classe não conseguem prosseguir os estudos, por falta de condições financeiras para pagar o táxi que os leva, de segunda a sexta-feira, até à sede municipal do Dange Quitexe”, lamentou. A agricultura é a actividade que garante o sustento das famílias. Quitoque tem duas associações de camponeses e uma cooperativa agrícola, integrada por 235 elementos que produzem banana, mandioca, milho, ginguba, batata-doce, cana-de-açúcar, hortícolas, entre outros produtos agrícolas.
O soba Domingos Culenda informou que na presente época agrícola os camponeses já cultivaram 12 hectares de terra, mas a produção é feita manualmente, por não disporem de máquinas de lavoura.
“Temos vontade de intensificar a produção, mas enfrentamos dificuldades no exercício da actividade por falta de máquinas”, concluiu o soba Domingos Culenda.

Tempo

Multimédia