Províncias

População do Alto Zaza com água potável

Joaquim Júnior |Quimbele

A população da comuna do Alto Zaza, município do Quimbele, passou a usufruir de um sistema de captação e abastecimento de água potável, com capacidade para distribuir 50 metros cúbicos por dia.

Autoridades pediram aos munícipes a preservarem os bens públicos coloacdo à disposição
Fotografia: Eunice Suzana | Uíge

A população da comuna do Alto Zaza, município do Quimbele, passou a usufruir de um sistema de captação e abastecimento de água potável, com capacidade para distribuir 50 metros cúbicos por dia.
Inaugurado pelo vice-governador para o sector Económico e Produtivo do Uíge, Carlos Mendes Samba, o sistema, construído no âmbito do Programa de Combate à Pobreza, inclui um poço subterrâneo de abastecimento de 60 mililitros e um tanque elevado de 14 mililitros, sete chafarizes e igual número de lavandarias.
A água está a ser captada a uma distância de cerca cinco quilómetros, no mesmo local para onde a população do Alto Zaza se deslocava a pé, para ir buscar água.
O governador em exercício do Uíge, Mendes Samba, disse que o Governo Provincial continua a trabalhar no combate à pobreza e no aumento da qualidade de vida dos angolanos.
“Agostinho Neto dizia que ‘o mais importante é resolver os problemas do povo’. É por isso que procuramos resolver os problemas, pondo à disposição da população o necessário para o seu bem-estar”, disse.
Carlos Samba pediu a colaboração do povo na preservação do sistema por ser fundamental para a sequência das acções destinadas a resolver aos problemas sociais existentes. O governador em exercício, que entregou uma ambulância ao posto médico, reconheceu que a localidade ainda vive muitas insuficiências na área da saúde, devido à exiguidade de espaços para albergar as pessoas que procuram cuidados de saúde.
No acto provincial alusivo ao 52º aniversário do início da Luta de Libertação Nacional, Carlos Samba sublinhou que o programa de governação reflecte os ideais dos heróis quando decidiram dizer basta à tirania e a todo o tipo de atrocidades cometidas pelo colonizador contra os nacionais, que almejavam não só a liberdade mas, também, a melhoria da qualidade de vida.“Servir a Nação significa resolver os problemas da água, luz eléctrica, escolas, postos e centros médicos, hospitais, estradas e outros. Aqui, no Quimbele, prometemos resolver, paulatinamente, todos os problemas que afligem as populações locais”, afirmou.
A autoridade tradicional Mwana Uta Kabamba enalteceu os esforços do Executivo, pelo trabalho que realiza para concretizar os vários projectos sociais que estão a mudar, para melhor, a vida das populações locais.
 “Neste momento, o sentimento é de satisfação. O gesto demonstra que o Governo conhece as dificuldades dos habitantes de Alto Zaza”, disse.

Tempo

Multimédia