Províncias

Previsões de chuvas fortes já ocorrem no norte do país

Cerca de 200 construções, entre casas, escolas e igrejas, foram destruídas pelas fortes chuvas que caíram nos últimos dias em dois municípios da província do Uíge, informaram as autoridades locais.

Previsões do Instituto de Meteorologia acerca de chuvas intensas no norte já estão a ocorrer
Fotografia: Domingos Cadência

No município de Sanza Pombo, há o registo de 74 famílias que perderam as casas e que, segundo a administração municipal, necessitam de apoio imediato, além da destruição de escolas e igrejas. Cenário idêntico em Milunga, igualmente província do Uíge, em que as chuvas destruíram três escolas primárias, três igrejas, um centro médico e cerca de 110 casas de construção artesanal.
O director-geral do Instituto Nacional de Meteorologia e Geofísica (Inamet) anunciou no princípio deste mês, na cidade do Uíge, durante o acto de lançamento de dados das previsões da época chuvosa 2016/2017, a ocorrência de chuvas fortes acompanhadas de ventos, relâmpagos, trovoadas e granizo nas regiões norte e leste do país.
Domingos do Nascimento revelou que em algumas províncias do sul do país, com realce para a Huíla, Cunene, Cuando Cubango e Namibe, podem registar-se períodos de estiagem.
Para as regiões onde vão ocorrer chuvas fortes, Domingos do Nascimento apelou a um melhor aproveitamento do fenómeno, sobretudo na maximização da produção agrícola, tendo alertado para uma maior prevenção sobre possíveis sinistros e calamidades naturais.
“É um acto de alerta para o país preparar-se melhor neste período. Os agricultores devem planificar melhor as suas actividades com o aproveitamento das previsões do Inamet, que lhes vão ajudar a direccionar as suas culturas. O Ministério da Saúde deve também estar preparado para prevenir doenças sazonais, como o paludismo, a cólera e a malária”, alertou Domingos Nascimento, exortando também os Serviços de Protecção Civil e Bombeiros, administradores municipais e comunais, autoridades tradicionais e a sociedade civil a reforçarem as suas acções de sensibilização da população para se evitar danos materiais e humanos devido às calamidades naturais e sinistros.
“Fizemos o lançamento daquilo que vai ser o comportamento da época chuvosa que vai de Outubro a Abril e verificámos que há zonas do país em que se esperam quedas pluviométricas acima do normal, como é o caso do norte e leste do país. Na região sul, algumas províncias vão ter dificuldade de receber quedas de água. Vão ter chuvas abaixo do normal”, disse.
O responsável pelo controlo meteorológico do Inamet, Nfinda Pedro, explicou que nos períodos compreendidos entre Outubro, Novembro e Dezembro (OND) e Novembro, Dezembro e Janeiro (NDJ), as regiões norte e leste vão registar precipitações acima do normal, a centro com uma incidência normal, enquanto a sul vai ter ocorrências abaixo do normal.
Em Dezembro, Janeiro e Fevereiro (DJF), a situação tende a melhorar, com precipitações normais na maior parte do território nacional, acima do normal em algumas regiões do leste de Angola e abaixo do normal em certas localidades da província da Huíla. De Janeiro, Fevereiro a Março, o leste, nordeste e sudeste vão ter precipitações acima do normal, mas a província da Huíla vai continuar a enfrentar escassez de chuvas.

Tempo

Multimédia