Províncias

Primeira produção agrícola com resultado satisfatório

António Capitão| Uíge

O funcionamento da Cooperativa Agrícola dos Antigos Combatentes no município de Dange Quitexe, província do Uíge, deve ser visto como um modelo a seguir em todo o país, tendo em conta a qualidade e quantidade de alimentos produzidos, disse ontem, em Pumba-Sai, o ministro dos Antigos Combatentes e Veteranos da Pátria. 

Cândido Pereira Van-Dúnem falava na abertura do período de colheita da primeira produção da Cooperativa Agrícola dos Antigos Combatentes, na regedoria de Catulo, região de Pumba-Sai, que dista cerca de 20 quilómetros da vila de Quitexe, onde foram cultivados 17 hectares de mandioca e 14 hectares de banana.
O ministro disse que se trata de um modelo que deve ser analisado em todas vertentes, desde os procedimentos para a sua criação, processo produtivo e os resultados alcançados. Há  necessidade de se estudar e, com base nisto, saber até que ponto o ministério deve apoiar e incentivar os antigos combatentes de outros municípios e província, no sentido de adoptarem o mesmo modelo, como possibilidade de geração de trabalho e renda, salientou o ministro dos Antigos Combatentes.
 Cândido Pereira Van-Dúnem recebeu informações detalhadas sobre o surgimento da cooperativa que sobrevive através do sistema de cotização dos associados, cujo processo de produção é assegurado pelos apoios das Direcções Provinciais da Assistência e Reinserção Social e dos Antigos Combatente e Veteranos da Pátria, que têm fornecido sementes, instrumentos agrícolas e tractores.
O agrónomo responsável pela gestão técnica do projecto, Miguel Mateus, disse que a Cooperativa Agrícola dos Antigos Combatentes integra 27 associações de camponeses, que possuem  2.200 hectares, dos quais 39 já foram cultivados. “Neste momento decorrem acções de colheitas de boas quantidades de mandioca e banana para o consumo dos associados”. Três tractores com as respectivas alfaias permitem a lavoura mecanizada da terra, enquanto o processo de plantação, poda, limpeza e colheita é garantido por 60 trabalhadores.

Tempo

Multimédia