Províncias

Produtos agrícolas ficam mais caros devido à pouca chuva na província

Joaquim Júnior | Uíge

A falta de chuva, há mais de um mês, na província do Uíge, está a afectar a produção de vários produtos cultivados nesse período, dizem os agricultores. A situação está a deixar preocupados os camponeses da região e os consumidores, tendo em conta que se verifica a subida dos preços nos mercados.

Produção está a ser afectada pela seca o que preocupa os agricultores locais
Fotografia: Joaquim Júnior|

A falta de chuva, há mais de um mês, na província do Uíge, está a afectar a produção de vários produtos cultivados nesse período, dizem os agricultores. A situação está a deixar preocupados os camponeses da região e os consumidores, tendo em conta que se verifica a subida dos preços nos mercados.
 Produtos como milho, mandioca, safú, batata-doce, hortaliças e outros tubérculos registaram uma subida de preço na maior parte dos mercados rurais da província.
As vendedoras apontam a seca que se verifica na região como o factor que está a provocar a escassez de vários produtos do campo.
 Adelina Kilombo, vendedora no mercado municipal do Uíge, disse que a situação está a provocar desespero aos camponeses da região, tendo em conta que perspectivam fraca colheita, caso a estiagem se prolongue para mais tempo.
        “Estamos habituados a comprar e a vender muitos produtos do campo nesta época. Este ano, as coisas estão muito complicadas porque os produtores queixam-se que as culturas estão a estragar-se for falta de chuva, razão para eles também aumentarem o preço de comercialização”, esclareceu.
Adelina Kilombo salientou que um quilo de jinguba, por exemplo, é comprado aos camponeses ao preço de 50    Kwanzas. Nesse momento, está a ser vendidos nos mercados a 100 kwanzas.
A camponesa Maria Cambila, diz que a campanha agrícola para o presente ano, pode ficar comprometida, tendo em conta as previsões negativas da safra.
A agricultora disse que a sua maior preocupação está na possibilidade de colher uma parte da produção para conservar as sementes. “Os produtos nos campos estão a secar, sobretudo a jinguba e a mandioca. Apenas a cultura da banana, que não depende muito das chuvas, é que está a resistir”, afirmou.
Garcia Paulo defende a necessidade da Direcção Provincial da Agricultura apoiar os camponeses com equipamentos, sobretudo moto-bombas, para permitir a irrigação dos campos enquanto permanecer a estiagem.

Tempo

Multimédia