Províncias

Professores aprimoram conhecimentos

Nicodemos Paulo | Uíge

Professores da Universidade Kimpa Vita e do Instituto Superior de Ciências da Educação (ISCED) do Uíge participam, desde terça-feira, naquela cidade, num seminário de capacitação de investigadores e académicos da província, em busca de domínio para a elaboração de projectos de investigação científica.

Professores e alunos estão mais bem preparados no domínio da investigação científica
Fotografia: Filipe Botelho | Uíge

Com o encerramento agendado para hoje, o seminário foi organizado pelo Ministério da Ciência e Tecnologia, em parceria com as duas instituições do ensino superior, com objectivo de melhorar as competências dos professores em matéria de elaboração, gestão e publicação de projectos científicos.
O vice-reitor para a Área Científica e Pós-graduação, Heitor Timóteo, disse ontem que a formação vai permitir aos investigadores das duas instituições identificarem problemas sociais concretos no campo da saúde, agricultura, ambiente, educação e cultura. O académico considerou serem vários os campos onde a universidade pode actuar, caso haja financiamento.
Ainda no quadro das responsabilidades da Universidade no processo de desenvolvimento do país, que é a habilitação dos seus quadros para responder com eficácia aos desafios técnicos, políticos e económicos, 109 alunos finalistas do ensino médio, das províncias do Uíge e Cuanza Norte, participaram quarta-feira na primeira Prova Nacional para Selecção de Talentos, nas disciplinas de Matemática, Física e Química.
O vice-reitor para Área Científica e Pós-graduação da Universidade Kimpa Vita informou que a  prova tem como objectivo combater o défice de professores de Matemática, Física e Química e criar estímulos na sua aprendizagem.
Os melhores alunos, acrescentou, vão beneficiar de bolsas de estudo e frequentar cursos superiores em áreas de grande importância tecnológica, em algumas Universidades de excelência, no exterior do país. O concurso, promovido pelo Ministério do Ensino Superior, decorreu em simultâneo em todas as províncias do país.
Trata-se de uma orientação do Ministério do Ensino Superior que manda submeter a testes um total de 109 alunos da província do Uíge e Cuanza Norte, com o ensino médio concluído e com médias iguais ou superiores a 14 valores, para se habilitarem a bolsas de estudo no exterior do país, concluiu Heitor Timóteo.

Vagas disponíveis

O Instituto Superior de Ciências da Educação (ISCED) do Uíge tem disponíveis para o próximo ano lectivo mais de 900 vagas para os 15 cursos ministrados na instituição, disse ontem   o  director-geral da instituição. Domingos Kimpolo Zau, que falava na abertura de um seminário de capacitação para  professores e funcionários administrativos, que visou reforçar as competências técnicas e melhorar a prestação de serviços, apelou aos candidatos para se prepararem devidamente, para terem sucessos nos exames de admissão.
“A actualização técnica dos conhecimentos é um imperativo importante para os funcionários de uma instituição do ensino superior, sob pena de não satisfazerem as exigências”, disse Domingos Kimpolo Zau, que acrescentou que o ­seminário enquadra-se num conjunto de actividades para a preparação do próximo ano académico e promoção de quadros competentes, para gerirem os meios da instituição com “autonomia, zelo e aptidão”.
Desde a sua abertura, em 1997, o ISCED do Uíge já formou mais de dois mil estudantes  em Psicologia, Pedagogia, Física, Química, Matemática, História, Biologia, Filosofia, Geografia e Línguas Portuguesa, Francesa e Inglesa.

Tempo

Multimédia