Províncias

Professores da província são capacitados

Joaquim Júnior | Uíge

Os professores da província do Uíge estão melhor capacitados sobre a  importância das tecnologias de informação e comunicação no processo de ensino, assim como  sobre caligrafia, depois de participarem até ontem numa acção formativa.

Director da Educação Manuel Zangala admitiu que a qualidade de ensino depende dos docentes e daí a necessidade de realização de mais cursos
Fotografia: Filipe Botelho | Uíge

Promovida pela Direcção Provincial da Educação, Ciência e Tecnologia, a acção formativa serviu para fornecer aos professores métodos especiais de ensino nas escolas primárias, sobretudo em relação ao ensino da matemática, leitura e das abordagens sobre o currículo, programa, calendário escolar e das matrizes das avaliações.
O director provincial da Educação, Ciência e Tecnologia, Manuel Zangala, pediu aos professores espírito de sacrifício para que possam gerir melhor situação difícil que o país atravessa, cumprindo de forma zelosa e dedicada as actividades sob a sua responsabilidade.
Manuel Zangala disse que a qualidade de ensino depende  dos professores, referindo que há  necessidade de os  apetrechar com as ferramentas necessárias para que possam exercer com zelo e competência as suas actividades.
 “A educação está assente em valores que é o homem que deve gerar qualidade. Com isso pretendo dizer que queremos melhorar cada vez mais a qualidade dos nossos professores para que se reflictam na transmissão dos conhecimentos aos alunos”, referiu Manuel Zangala.

Rigor na carreira docente />
O director provincial da Educação, Ciência e Tecnologia  anunciou  estar em curso na província a execução de um sistema rigoroso de Inspecção Escolar, com o propósito de fazer cumprir as normas da carreira docente e organizar melhor o sector. Manuel Zangala disse que é com alguma preocupação que tem recebido informações sobre muitos professores que abandonam as suas zonas de trabalho e se fixam  na sede capital da província em busca de conhecimentos na Universidade Kimpa Vita e no ISCED, situação que considerou preocupante na medida em que as crianças destas localidades acabam por perder o ano lectivo por falta de docentes.  Para solucionar este problema, estão a ser estudados métodos que passam pela emissão  de  um documento que autoriza a saída dos professores e que os possibilita de frequentar o ensino superior e evitar assim a fuga de muito quadros, prejudicando milhares de crianças em idade escolar.
Viera Augusto, um dos professores participantes na formação, reconheceu a necessidade de potenciar cada vez mais a classe, sobretudo do I e II ciclos, nas disciplinas de português, inglês, francês, matemática e história.

Tempo

Multimédia