Províncias

Professores pedem núcleo universitário

O secretário municipal da Associação dos Professores Angolanos (APA), em Mucaba (Uíge), Mateus Quixona, solicitou sábado, ao governo local, a abertura na circunscrição de um núcleo universitário.

Sector da educação no Uíge registou melhorias significativas com o aumento de crianças no sistema de ensino
Fotografia: Santos Pedro

O secretário municipal da Associação dos Professores Angolanos (APA), em Mucaba (Uíge), Mateus Quixona, solicitou sábado, ao governo local, a abertura na circunscrição de um núcleo universitário.
Em declarações à Angop, no final das celebrações do 25º aniversário da APA, assinalado sexta-feira, o responsável reconheceu que a falta de um núcleo de ensino superior na localidade tem obrigado à deslocação dos docentes à cidade do Uíge, para darem continuidade à formação académica.
“Queremos uma unidade universitária na região, para que os professores com o ensino médio colocados em Mucaba prossigam os seus estudos e contribuam para desenvolvimento deste município”, disse.
Mateus Quixona afirmou haver necessidade de se recrutar 19 novos professores com nível superior, para atender a escola do II ciclo do ensino secundário, assim como 70 outros para o primeiro ciclo, e 48 para o nível primário, com vista a cobrir as vagas existentes.
Apontou como dificuldades a escassez de material didáctico, a falta de escolas em algumas aldeias, com destaque para o Wando, e o apetrechamento das unidades construídas, bem como o não enquadramento dos professores nos seus respectivos escalões.
O sector de educação, no município de Mucaba, controla 535 professores, desde o ensino primário até ao II ciclo do secundário, que estão divididos em 44 escolas, com mais de 60 salas de aulas.
Para o presente ano lectivo, foram matriculados 10.836 alunos, contra 10.225 do ano transacto. A nível da alfabetização, estão controlados 946 estudantes e 29 alfabetizadores.

Educação

O sector da Educação registou, desde 2008, na província do Uíge, melhorias significativas, consubstanciadas na construção de infra-estruturas escolares em diferentes localidades da região, informou o director provincial da Educação em exercício, Mendes Victor Lisboa.
O responsável, que falava no acto que marcou as celebrações de 25º aniversário da APA, destacou a construção, desde 2008, de 1.314 escolas, das quais 1.250 primárias, 35 do primeiro ciclo, 24 do segundo ciclo e cinco institutos médios.
Para a fonte, a construção dessas infra-estruturas é resultado dos esforços do Executivo.
Por sua vez, o primeiro secretário da APA, Dias Carlos Metange, reconheceu os esforços do Executivo no melhoramento das condições básicas dos docentes, traduzidos nos salários, na reconversão, à luz do novo estatuto de carreira docente.
Dias Metange defendeu ainda a necessidade de erradicação da diferença entre o professor do meio rural e da cidade, para se evitar o êxodo de docentes, assim como a ligação estreita entre encarregados de educação e os docentes.

         Escola e centro de saúde

Entretanto, a população de Casseche, estimada em mais de dois mil habitantes, conta, desde sexta-feira, com uma escola e um centro médico, construídos de raiz, em 2009.
As infra-estruturas foram inauguradas pela Secretaria de Estado para o Desenvolvimento Rural, Filomena Delegado, no âmbito das festas da cidade do Uíge.
A escola, com 24 salas de aulas completamente apetrechadas, possui também outras áreas como sala de professores, gabinetes do director e director pedagógico, balneários, entre outras.
Este ano lectivo, o estabelecimento de ensino recebe 670 alunos do ensino primário.
Já o centro médico comporta sete divisões, com destaque para áreas de pré e pós-parto, secretaria e consultório.
Falando à margem da inauguração das duas infra-estruturas sociais, o governador do Uíge, Paulo Paombolo, disse que as unidades constituem um benefício para os mais de mil 750 habitantes da comunidade, que dista  15 quilómetros a noroeste da cidade do Uíge e outros circunvizinhos.

Tempo

Multimédia