Províncias

Professores recebem formação para aulas de aceleração escolar

Joaquim Júnior | Uíge

A Direcção Provincial da Educação no Uíge promove, desde ontem, uma acção formativa que visa a capacitação de 140 professores para assegurar, neste ano lectivo, nas escolas primárias do ensino geral as aulas de aceleração dos alunos com idades desfasadas, disse o chefe do departamento de Administração, Finanças e Recursos Humanos da Direcção Provincial da Educação.

Acção formativa vai durar cinco dias e conta com a participação de centenas de professores de vários municípios da província do Uíge
Fotografia: Joaquim Mahungo | Uíge

Alexandre Canica explicou que o projecto de formação é implementado no âmbito do Programa de Alfabetização e Aceleração Escolar (PAAE), em colaboração com parceiros da sociedade civil e a empresa brasileira de consultoria “Aldeia Global”, para promover o intercâmbio, experiências de gestão administrativa e pedagógica, bem como fortalecer a rede municipal de alfabetização.
Durante cinco dias, os professores vão aprimorar conhecimentos em matérias ligadas ao plano estratégico para a revitalização da alfabetização 2012-2017, utilização dos módulos um, dois e três e ambiente alfabetizador para permitir aos educadores um melhor conhecimento sobre as metodologias em vigor, disse Alexandre Canica.
“Com a formação, pretende-se potenciar os professores de conhecimentos essenciais das turmas de aceleração dos alunos com idade desfasada, para permitir a conclusão do ensino primário e outras oportunidades de educação aos jovens e adultos que não tiveram acesso à escolarização na idade adequada”.
Alexandre Canica referiu que o Ministério da Educação, em colaboração com a empresa “Aldeia Global”, desenvolveu um método com livros escolares correspondentes, intitulados “Gostar de Ler e escrever”, divididos em três módulos, para facilitar a aprendizagem e fortalecer as competências básicas e a consolidação da auto-estima em tempo pedagógico mais curto.
“Com estes manuais desenvolvidos, a duração prevista para o primeiro módulo, que corresponde à primeira e à segunda classe é de três meses, enquanto o segundo e terceiro, que correspondem à terceira e quarta classes e à quinta e sexta, respectivamente, levariam um ano lectivo”, explicou, para acrescentar que assim o aluno conseguirá terminar o ensino básico em menos de três anos.
Participam na formação directores e professores das escolas primárias do ensino geral dos municípios do Uíge, Negage, Songo, Quitexe, Mucaba, Bungo, Ambuila, Damba, Milunga, Maquela do Zombo, Songo e Puri.

Tempo

Multimédia