Províncias

Projecto leva clínica móvel ao bairro Papelão

A população da localidade do Nguengué, no bairro Papelão, na cidade do Uíge, recebe desde terça-feira tratamento gratuito do paludismo, com a instalação de uma clínica móvel, no âmbito do programa “Saúde Chegou”.

Clínica móvel instalada sob um camião surge como resposta ao aumento do número de casos de malária sobretudo na pediatria do Hospital Geral do Uíge
Fotografia: António Capitão | Uíge

A população da localidade do Nguengué, no bairro Papelão, na cidade do Uíge, recebe desde terça-feira tratamento gratuito do paludismo, com a instalação de uma clínica móvel, no âmbito do programa “Saúde Chegou”.
A direcção provincial da Saúde, em colaboração com o Hospital Geral do Uíge, enviou para a povoação uma clínica móvel, instalada sob um caminhão, equipada com um laboratório para análises clínicas e um consultório médico.
Rui Adelino, responsável da equipa de enfermeiros que está a assegurar a assistência médica às populações, disse que a deslocação do equipamento e de técnicos à localidade deve-se à necessidade da realização do bloqueio e testagem da malária nos bairros periféricos da cidade.
A medida é também uma resposta ao aumento do número de casos de malária registados no Hospital Geral do Uíge, sobretudo na pediatria, onde estão internadas mais de 300 crianças.
O enfermeiro-chefe disse que, até às 12h00 de quarta-feira, pelo menos 125 pessoas, entre adultos e crianças, tinham sido testadas e consultadas.
Desse número, 74 elementos tiveram os testes de malária positivos.  Estes receberam doses de Coarten para combater a doença e mosquiteiros. As crianças entre os 5 e os 14 anos são as mais afectadas pela enfermidade. A actividade no bairro Papelão termina hoje, havendo medicamentos suficientes e mosquiteiros para distribuição gratuita às populações.
Rui Adelino exortou os populares a reforçarem as medidas de prevenção contra o paludismo e a dirigirem-se a uma unidade hospitalar em caso de suspeita da doença. Maria Cubala, 26 anos de idade, que passava por acaso pela zona em que foi instalada a clínica móvel, aproveitou levar ali o filho, de 2 anos, tendo em conta que o pequeno já apresentava sintomas de paludismo há alguns dias.
 “Estava a passar e dei conta que havia aqui uma equipa médica, que realizava consultas grátis, análises e fornecer medicamentos, então aproveitei a ocasião”, disse a jovem mãe, que valorizou o gesto das autoridades provinciais, tendo dito que, desta forma, a pediatria do Hospital Geral do Uíge vai registar poucas enchentes.
 Manuel Cruz, 18 anos de idade, que sentia o corpo mais quente do que o normal, sobretudo à noite. Apercebendo-se da instalação da clínica móvel foi até ao local para efectuar a consulta médica e realizar o teste laboratorial. “O meu teste deu positivo. Recebi os comprimidos para tratar da doença e um mosquiteiro”, rematou.

Caquiuia e Quigima


Os habitantes dos bairros Caquiuia e Quigima, no município do Uíge, dispõem, desde quarta-feira, de duas novas escolas do ensino primário, inauguradas na quinta-feira pelo administrador Altamiro Benjamim.
Os dois estabelecimentos de ensino primário, com seis salas cada, possuem também gabinetes administrativos, de reuniões e balneários, e estão equipadas com carteiras e outro mobiliário, para permitir que as crianças estudem em melhores condições.
A inauguração de estabelecimento de ensino vai permitir o ingresso de mais crianças no sistema de ensino.O administrador referiu que o Governo Provincial quer acabar com as aulas ao ar livre ou em instalações provisórias, como igrejas e armazéns. A construção das escolas é uma resposta às reclamações da população relativas à necessidade de haver mais espaços académicos em condições.
As duas escolas vão permitir que mais de mil alunos estudem em melhores condições e garantir que mais crianças sejam inseridas no sistema normal de ensino.

Tempo

Multimédia