Províncias

Projectos do executivo satisfazem a população

Valter Gomes | Uíge

Os projectos e programas  que estão a ser desenvolvidos nos últimos anos pelo Ggoverno Provincial do Uíge, como a melhoraria das condições de vida das populações, tem merecido grandes elogios por parte da população beneficiada.

Obras de impacto no bairro Papelão satisfazem a população que agora tem água potável ao domicílio e iluminação pública nas ruas
Fotografia: Mavitidi Maulaza

No Bairro Papelão, o regedor Miguel Sebastião está satisfeito com a dinâmica das obras que estão a ser executadas, com destaque para a instalação de serviços sociais, como energia, água e a construção  de escolas e unidades sanitárias. “Antes, os habitantes do Bairro Papelão viviam às escuras, não tinham sequer uma rede de energia eléctrica pública nem água canalizada”, disse Miguel Sebastião em declarações ao Jornal de Angola.
Este quadro foi invertido. Hoje o Bairro Papelão possui vários fontanários onde a população tem acesso a água potável, as habitações e ruas  estão a ser iluminadas com  energia eléctrica proveniente de Capanda.
O regedor do Bairro Papelão disse que com estes serviços, principalmente a energia eléctrica, “assistimos à redução de casos de delinquência”. Miguel  Sebastião, que é igualmente presidente da Associação das Autoridades Tradicionais do Uige, afirmou que o projecto da água, para além dos fontenários já instalados, inclui também as ligações às habitações.

Explosão do ensino

“Foi nos garantido que a empresa contratada está a trabalhar para instalar a água canalizada em todos os bairros e residências da sede provincial do Uíge. No nosso bairro  os técnicos já estão a trabalhar na aplicação de tubos que vão transportar água para as casas”, disse. O regedor aconselhou a população a colaborar com os técnicos em serviço para que os trabalhos decorram sem sobressaltos: “Devemos ter confiança nas acções do Governo porque dia após dia surgem novas infra-estruturas e empreendimentos de grande dimensão em várias localidades da província”. No domínio da educação, o regedor Miguel Sebastião disse que o Bairro Papelão dispõe de 36 salas de aulas que, no ano passado receberam 11.156 alunos, da iniciação a 12ª classe. Em 2005 o bairro Papelão tinha apenas seis salas para os 2.053 alunos matriculados. As aulas são asseguradas por 151 professores. Apesar das melhorias alcançadas no sector da Educação, Miguel Sebastião sugere a construção de mais salas para os alunos do segundo ciclo do ensino, evitando que muitos deles percorram longas distâncias para concluir o ensino médio. “Temos espaços suficientes para que seja erguida aqui uma nova escola do segundo ciclo. O nosso desejo é que as crianças terminem o ensino médio aqui no bairro, sem que haja necessidade de percorrerem grandes distâncias”, disse.
 O regedor encorajou as mulheres e homens que não sabem ler nem escrever, a frequentarem as aulas de alfabetização. O Bairro Papelão tem um centro de alfabetização da Igreja Católica. No ano passado, o Centro Santa Regina matriculou 300 mulheres. Nos últimos três anos o Bairro Papelão recebeu dez moagens de fuba de bombô, bombas de combustíveis da Pumangol, um posto de saúde, escolas, uma agência do Banco de Comércio e Indústria, e outros benefícios que contribuem para a melhoria das condições de vida dos moradores.
 
Venda de terrenos

O presidente da Associação das Autoridades Tradicionais do Uíge, Miguel Sebastião, proibiu a venda de terrenos sem que estejam devidamente legalizados. “A terra é do Estado e o Executivo está a desenvolver vários projectos e programas que visam a melhoria das condições de vida da população e o desenvolvimento da província. Não podem surgir casas ilegais nas reservas fundiárias”, disse.
O regedor do Bairro Papelão assegurou ainda que o Governo Provincial está a levar a cabo acções de requalificação dos bairros antigos. No município do Uíge os trabalhos arrancaram no Candombe Velho e vão expandir-se para outras localidades.  Miguel Sebastião,  aconselhou a população a primar pelo diálogo nos lares, transmitindo a boa educação aos filhos, para evitar o espírito de delinquência no seio dos adolescentes. “Devemos ensinar bons hábitos às  crianças e ensiná-las a conviver com humildade, respeito, amor ao próximo e bons costumes”, disse. Fundado em 1930, o Bbairro Papelão temuma população de 14.463 habitantes e conta com duas mil habitações.

Tempo

Multimédia