Províncias

Reforço de especalistas no hospital do Mucaba

Dois médicos de nacionalidade coreana, especializados em ginecologia e pediatria, foram colocados há dias no hospital municipal de Mucaba, 60 quilómetros a norte da cidade do Uíge, no quadro do melhoramento da assistência médica e medicamentosa da população da região.

Dois médicos de nacionalidade coreana, especializados em ginecologia e pediatria, foram colocados há dias no hospital municipal de Mucaba, 60 quilómetros a norte da cidade do Uíge, no quadro do melhoramento da assistência médica e medicamentosa da população da região.
Em declarações ontem à Angop, o chefe da repartição municipal de Saúde em Mucaba, Sebastião Paulo, depois de valorizar a presença de médicos naquela unidade sanitária, disse que a sua colocação vai melhorar significativamente o atendimento da população, sobretudo nas especialidades dos mesmos.
Segundo o responsável, com a vinda destes especialistas, os doentes da localidade, que antes eram transferidos para a cidade do Uíge, já estão a ser tratados localmente. “Apesar disso, continuamos a pedir mais médicos de outras especialidades”, disse.
O responsável disse haver fármacos suficientes para atender a demanda da população, reconhecendo o esforço da direcção provincial de Saúde, que fornece regularmente medicamentos àquela circunscrição. Neste momento, dez pacientes com diversas patologias estão actualmente internados no centro médico, onde funciona provisoriamente o hospital municipal, com capacidade para internar 20 doentes.
Sebastião Paulo apelou à população no sentido de levar os pacientes ao hospital, com vista a beneficiar de tratamento especializado e evitar intervenções caseiras ou de curandeiros. “Atenção especial peço às mulheres grávidas, que devem efectuar o parto no centro médico, onde há maior segurança, e não em casa, como é hábito”, alerta.
Defendeu ainda a necessidade de abertura de latrinas ou casas de banho para se evitar eventuais doenças que possam perigar a saúde da população, bem como a criação do hábito de lavar sempre os alimentos e as mãos com água e sabão antes de comer, depois de usar a retrete.
As doenças diarreicas e respiratórias agudas, os traumatismos provocados pelos acidentes de viação, com maior destaque para acidentes de motorizadas, e doenças sexualmente transmissíveis (DTS) foram apontados, pelo responsável, como sendo as principais que se registam na região.

Tempo

Multimédia