Províncias

Ruas e passeios do Mbemba Ngango necessitam de intervenção urgente

Nicodemos Paulo | Uíge

As ruas da cidade Uíge estão reabilitadas e sinalizadas, mas na periferia a situação é diferente. O estado avançado de degradação das ruas e passeios dos bairros Mbemba Ngango e Popular reflecte o quadro deplorável em que se encontram as mesmas. Os automobilistas e peões enfrentam dificuldades na sua circulação normal. Algumas ruas estão muito esburacadas e os passeios partidos.

As ruas da cidade Uíge estão reabilitadas e sinalizadas, mas na periferia a situação é diferente. O estado avançado de degradação das ruas e passeios dos bairros Mbemba Ngango e Popular reflecte o quadro deplorável em que se encontram as mesmas. Os automobilistas e peões enfrentam dificuldades na sua circulação normal. Algumas ruas estão muito esburacadas e os passeios partidos. As pessoas manifestam o seu desagrado e solicitam a pronta intervenção da administração municipal. Alguns citadinos reconheceram, em declarações ao Jornal de Angola, que a circulação automóvel se tornou difícil devido à grande quantidade de buracos que as ruas apresentam, sendo preferível circular a pé.
A rua A do bairro Mbemba Ngango, por exemplo, é motivo de crítica por ter beneficiado, há menos de seis meses, de obras de reabilitação, mas, em pouco tempo, voltou a apresentar mais buracos do que antes.
Afonso Garcia, morador da rua A, não compreende a razão do péssimo trabalho da empresa contratada. “Pelo que sabemos, o governo gastou muito dinheiro para que esta rua fosse reabilitada e, em pouco tempo, o mesmo trabalho tem de ser refeito”, desabafou.
“O táxi custa 100 kwanzas, mas às vezes pagamos mais do que isso se quisermos obrigá-los a passar em ruas esburacadas, para onde pretendemos ir”, disse Monteiro Moisés, outro morador.
  O automobilista Lopes José defendeu maior fiscalização das administrações municipais durante as obras de construção e reabilitação de estradas e de outros bens públicos feitos pelas diferentes empresas nacionais e estrangeiras.
 “Veja, por exemplo, nesta rua, alisaram o tapete e esqueceram-se da rede de esgotos. Agora, o governo tem que gastar outra vez para reabilitá-la”, referiu.
As ruas do bairro Popular, há mais de dois anos que não recebem qualquer obra de reabilitação. Os moradores da rua T estão impacientes e ansiosos para ver devolvido o esplendor do bairro.
Francisco Miguel, morador do bairro há mais de 15 anos, disse que o envelhecimento do tapete das ruas do Popular deixa uma imagem pobre, muito longe daquela que possuía no passado. “As estruturas de direito devem realizar trabalhos regulares com vista à melhoria das ruas, lancis, esgotos e jardins, para que as mesmas não se degradem até este ponto.”
“Alguns moradores também contribuem para a degradação do asfalto, abandonam os carros avariados nas ruas. Isso pode prejudicar a resistência do asfalto. E outros, quando as suas residências se inundam em consequência das enxurradas, fazem buracos nas vias para evacuar a água do interior das suas residências. Essa é uma atitude muito má”, lamentou.
Joaquim Armando, funcionário público, afirmou que muitas ruas dos bairros Pedreira, Papelão e Candombe Velho carecem de reparação. “São bairros cujos trabalhos já começaram na década de 80 e se tivermos em conta o número de habitantes que os mesmos possuem, essas zonas mereciam apresentar outras características arquitectónica . Por isso, esperamos que este ano, o governo não concentre as suas atenções apenas no centro da cidade”, referiu.
Depois de muitos anos degradada, a rua principal do bairro Dunga apresenta agora uma nova imagem. A artéria que dá acesso ao hospital central do Uíge foi reabilitada e melhorou muito a circulação automóvel.
“Folgo em circular nesta rua. Já não há lama nem poeira. Este é o aspecto que todas as ruas da cidade devem ter”, referiu o automobilista Adolfo José.

Tempo

Multimédia