Províncias

Sector com grandes melhorias este ano

António Capitão|Uíge

O sector da Educação na província do Uíge conheceu em 2015 grandes avanços, com a construção de dez novas escolas e a ampliação de duas, que contribuiu para o aumento de 146 salas de aula, indica um relatório da Direcção Provincial da instituição.

Momento em que o vice-governador provincial Afonso Luviluko fazia a entrega de diploma a um dos alunos mais destacados no ano lectivo
Fotografia: António Capitão

Das novas escolas construídas, destacam-se a “Namputo”, no município da Damba, com 19 salas para o primeiro e segundo ciclo do ensino secundário, e a escola de formação de professores “General Foguetão”, com 27 salas, no bairro Tange, município do Uíge, informa o documento.
O relatório esclarece que o aumento do número de salas de aula na província vai permitir que mais 12.960 crianças sejam matriculadas no próximo ano lectivo.
No ano lectivo 2015, foram matriculados 480.016 alunos na província e o processo de ensino e aprendizagem foi assegurado por 13.878 professores.
Com a construção e inauguração de mais escolas, a Direcção Provincial da Educação, Ciência e Tecnologia do Uíge prevê matricular, no próximo ano lectivo, 504.016 alunos, da iniciação ao segundo ciclo do ensino secundário, um aumento de mais 24.000 novos estudantes.
O relatório da Educação sublinha que se pretende com a conclusão das obras de construção de mais escolas, a promoção das categorias de professores e gestores, admissão de mais docentes, e o combate ao duplo vínculo e dupla efectividade.

Cursos técnicos

O vice-governador provincial para o sector Técnico e Infra-estruturas apelou aos jovens que pretendem ingressar ao ensino médio e universitário a optarem por uma formação nas ciências exactas para a autopotenciação da província com quadros técnicos. Afonso Luviluko, que falava no acto de encerramento do ano lectivo 2015, que ficou marcado com a entrega de certificados de habilitação literária aos alunos que mais se destacaram nas escolas do segundo ciclo do ensino secundário, disse que com a revitalização do parque industrial local e outros desafios, sobretudo da diversificação da economia, são necessários mais quadros com formação técnica.
“O mercado de emprego na província necessita de mais quadros técnicos, daí a necessidade dos jovens apostarem numa formação baseada nas ciências exactas para que, no futuro, possam existir muitos engenheiros na província, que venham a contribuir para o desenvolvimento da região”, disse.
Afonso Luviluko disse que no próximo ano, o Governo Provincial do Uíge vai continuar a construir e apetrechar mais escolas e aumentar o número de professores para reduzir o número de crianças fora do sistema de ensino, de modo a atribuir mais bolsas de estudo internas e externas para que mais jovens ingressem no ensino superior.

Tempo

Multimédia