Províncias

Sectores chamados a contribuir nas acções em curso

José Bule | Uíge

O governador do Uíge solicitou a contribuição de todos os sectores na materialização de acções, com vista ao alcance das metas estabelecidas no Plano de Desenvolvimento Provincial (PDP), onde há um grande peso em termos de investimentos públicos e uma fraca participação dos privados.

Dados do Censo colocam o Uíge entre as províncias mais populosas do país o que permite às autoridades locais a uma melhor governação
Fotografia: Filipe Botelho

Paulo Pombolo disse que os sectores que compõem a área económica da província devem ser mais proactivos, pragmáticos e eficientes nas estratégias de atracção de investimentos privados. “Em 2015, no quadro das acções a desenvolver nos sectores da agricultura, comércio e financeiro devemos trabalhar no sentido de dar resposta a estas opções”, disse.
Com a apresentação dos dados preliminares do Censo, que coloca o Uíge na sexta posição, entre as províncias mais populosas do país, com 1.426.354 habitantes, o Governo Provincial dispõe agora de um instrumento valioso para o trabalho a ser desenvolvido este ano, sobretudo em relação à direcção dos projectos e outros programas de desenvolvimento.
“Um dos instrumentos que vamos também utilizar para avaliação dos directores provinciais e administradores municipais, no início do exercício de 2015, é o quanto cada um dos sectores tem contribuído em termos de realizações concretas para o alcance das metas constantes no Plano de Desenvolvimento Provincial”, disse.
Paulo Pombolo disse que depois de aprovado o PDP, o Governo Provincial tomou decisões que visam a melhoria do estado de funcionamento dos seus órgãos, liderou várias iniciativas de desenvolvimento social, respondendo às várias inquietações das populações, e dedicou uma especial atenção aos programas de apoio aos idosos, crianças, jovens e pessoas portadoras de deficiência, bem como desenvolveu estratégias que ajudaram na mobilização de investidores e empreendedores, com vista à dinamização dos projectos económicos e sociais.   

Oportunidade de negócios


O governador provincial do Uíge destacou a promoção de encontros de negócios, a realização da Feira Agro-pecuária, do IV Fórum de Oportunidades de Negócios e Investimentos e a criação de um espaço de debate denominado “Café do Empreendedor”, como iniciativas que permitiram a entrada de várias empresas na província e que ajudaram a criar novos postos de trabalho para a juventude. 
O Plano Nacional de Desenvolvimento (PND) estabelece para o Uíge várias opções estratégicas, como orientar a especialização produtiva de forma a passar de uma agricultura camponesa de subsistência a uma agricultura que produza para o mercado; recuperar a industrialização dos produtos agrícolas; reabilitar a produção do café e desenvolver a exploração florestal; desenvolver funções administrativas aliadas a uma base industrial significativa; e reforçar substancialmente a sua articulação com Luanda. O governador do Uíge, Paulo Pombolo, considerou positivo o desempenho dos órgãos públicos de comunicação social, sobretudo na cobertura das principais acções do Governo. “Felicito os jornalistas por terem prestado um importante serviço às populações da província em 2014”, disse.
No âmbito do Prémio Provincial de Jornalismo, o Governo predispõe-se a continuar a assegurar a sua realização todos os anos, para estimular e valorizar o trabalho desenvolvido pelos profissionais que actuam na província.
Paulo Pombolo falou sobre a melhoria dos critérios de atribuição do Prémio, a julgar pelos comentários negativos da classe sobre a escolha dos premiados do ano passado, na segunda edição.“O sector da Comunicação Social deve discutir com a classe os critérios de atribuição do prémio, ouvindo todos os jornalistas, e a indicação dos membros do corpo de jurados também deve merecer o consenso do Conselho Editorial.”
Quanto ao sector da Justiça, Paulo Pombolo disse que o mesmo cumpriu as acções planificadas no ano passado. Diminuíram significativamente as enchentes que se verificavam na procura dos serviços de registo de nascimento e de identificação civil.
“A liderança deste sector deve ser um exemplo a seguir, no que diz respeito à sua articulação com o Ministério de tutela”, disse o governador, acrescentando de seguida que no ano passado, a par da construção e reabilitação de infra-estruturas, o sector apostou na formação dos seus quadros nas áreas de administração de sistemas, assistência técnica, registo civil e identificação para os funcionários dos BUE, além de ter realizado vários encontros sobre a ética e deontologia profissional, com vista a um atendimento de qualidade.
Em 2014 foram inaugurados edifícios para o funcionamento das Repartições Municipais de Identificação Civil e Criminais de Cangola, Bembe, Maquela do Zombo, Sanza Pombo e Quimbele.
O sector registou 4.338 crianças e emitiu 41.824 Bilhetes de Identidade, dos quais 21.201 beneficiaram do Decreto Presidencial nº 80/2013, de 5 de Setembro, que isenta o pagamento de emolumentos na emissão do Bilhete de Identidade.

Tempo

Multimédia