Províncias

Serviços de saúde têm novos instrumentos técnicos

Valter Gomes |Uíge

O centro municipal de saúde do Quitexe passou a ter novos equipamentos de Raio-X e de hemoterapia adquiridos pela Administração Municipal no âmbito do programa de melhoramento da qualidade e humanização dos serviços de saúde.

No Dange-Quitexe a repartição municipal da Saúde criou equipas de sensibilização e mobilização para reduzir a taxa de mortalidade
Fotografia: José Bule | Uíge

A directora da Saúde no Uíge, que procedeu à inauguração das salas de hemoterapia e de Raio-X, no quadro das comemorações do 101º aniversário da fundação do município, disse que o Governo Provincial está empenhado em melhorar as condições de vida da população com a construção de infra-estruturas sociais e económicas devidamente apetrechadas e formação de pessoal. 
Luísa Cambuta afirmou que os equipamentos técnicos instalados no centro municipal de saúde do Quitexe constituem um ganho importante para a população, pois contribuem para o descongestionamento dos vários casos de transfusão e ortopedia que são transferidos para o hospital central da capital da província.
O chefe da Repartição Municipal da Saúde referiu que a maior unidade sanitária do município oferece serviços de saúde pública, puericultura, maternidade, banco de urgências, vacinação, consultas externas e pré-natais, área de vigilância epidemiológica, planeamento familiar e uma área de mobilização social.
No centro trabalham 22 técnicos de enfermagem e um médico, além de administrativos. Kuavita Gabriel declarou que o número de técnicos é insuficiente para atender a quantidade de pacientes diários, pelo que são precisos mais 60 enfermeiros e quatro médicos especializados em pediatria, ortopedia, ginecologia e medicina geral.
O centro, pela localização geográfica, recebe muitos doentes provenientes de Camabatela, Kwanza-Norte, Quipedro, município de Ambuíla, e das localidades ao longo da Estrada Nacional Uíge-Caxito, a­lém das vítimas de acidentes de viação naquela via.

Hospital de referência

O centro de saúde do Quitexe já não tem capacidade para atender o número de pacientes que o procura diariamente, disse Kuavitan Gabriel. A unidade sanitária atende em média por dia, lembrou, 80 pacientes, pelo que se torna urgente construir um hospital municipal de referência capaz de oferecer serviços de saúde em quantidade e qualidade exigidas. O administrador municipal do Dange-Quitexe reconheceu que o espaço do centro de saúde é insuficiente e anunciou que há programas que vão ajudar a colmatar asdificuldades vividas por técnicos e pacientes. “O Governo Provincial programou para o próximo ano a construção na sede do município de um hospital de referência e de centros de saúde nas localidades do Dambi-à-Ngola e Quimbundo e no bairro Ambuíla, considerados pontos endémicos”, disse Salvador Bernardo.No Dange-Quitexe, a repartição municipal da Saúde criou equipas de sensibilização e mobilização social que levam informações sobre cuidados primários de saúde às comunidades, com o objectivo de reduzir a mortalidade materno-infantil e a proliferação de doenças.

Tempo

Multimédia