Províncias

Técnicos de enfermagem terminam curso

Valter Gomes | Uíge

O défice de técnicos superiores nas unidades sanitárias do Uíge vai ser superado em breve, quando o grupo de 89 estudantes finalistas do curso superior de Enfermagem da Escola Superior Politécnica (ESPU) terminarem a formação ainda este ano.

Há quatro anos a província contava apenas com três licenciados nesta especialidade
Fotografia: Mavitidi Mulaza

Com exames finais, que se realizam entre os dias 3 de Novembro e 4 de Dezembro deste ano, os futuros enfermeiros vão ajudar ainda a contribuir na melhoria do funcionamento do sector de saúde na província.
A decana da escola, Maria de Fátima, que falava na sexta-feira  na cerimónia de abertura dos exames finais do curso superior de enfermagem naquela unidade orgânica da Universidade Kimpa Vita, explicou que os exames são feitos em duas fases. A primeira fase vai ser a parte prática, com início dia 3 e que termina a 28 de Novembro, enquanto a segunda serve para os exames teóricos, que terminam a 4 de Dezembro.
Até 2011, ano em que arrancou o curso de Enfermagem na VII Região Académica, a província do Uíge contava apenas com três licenciados nesta especialidade, estando prestes a ganhar 89 novos técnicos superiores.
Durante cinco anos, os novos técnicos foram submetidos a matérias teóricas e práticas em diversas unidades sanitárias, tendo sido forjados com ferramentas suficientes para cuidarem da saúde da população. Este processo é feito mediante a aplicação do processo de atenção de Enfermagem com um enfoque humanista, científico e tecnológico da sua actuação, cumprindo a missão social da profissão em benefício da população.
“Contribuir para a elevação da qualidade dos serviços de saúde, através da actuação profissional, honesta, responsável, criativa, solidária, sensível, com elevado sentido de ética e com independência dentro dos marcos das suas atribuições, deve ser o expoente do humanismo durante o exercício dos técnicos a serem lançados no mercado de trabalho”, referiu.
O reitor da Universidade Kimpa Vita, João Francisco de Sousa, considerou o momento de “muito especial”, uma vez que os novos técnicos vão dar resposta positiva às necessidades existentes no sector, bem como dar solução ao grito da população quanto à melhoria da qualidade da assistência humanizada.
Um dos maiores desafios na Enfermagem consiste em humanizar a assistência sanitária na região. Por isso, espera-se que o primeiro grupo de licenciados esteja em condições de dar um grande contributo para a melhoria da assistência aos pacientes.
João de Sousa reiterou o compromisso da instituição que dirige em continuar a cumprir os objectivos propostos, como proporcionar uma formação de qualidade que corresponda às exigências do momento e à excelência no mercado de trabalho.

Melhorias visíveis

O chefe do departamento provincial de saúde pública, Manuel Bunga, disse que os esforços do Governo na melhoria da assistência sanitária às populações estão a surtir efeitos positivos.
A coordenadora dos professores cubanos na ESPU, Aidi Alinares, encorajou os jovens da província a apostarem cada vez mais na formação superior, uma vez que a cada ano que passa o Governo angolano cria condições para a formação dos cidadãos nas mais diversas áreas.
“Desejamos que os jovens angolanos continuem com a dinâmica na formação académica e técnico-profissional sem parar, com vista a garantirem o desenvolvimento das instituições”, rematou.

Tempo

Multimédia