Províncias

Técnicos em formação sobre traumatismos

Valter Gomes | Uíge

Médicos e enfermeiros das unidades de saúde das sedes provinciais do Uíge e do município do Quitexe participaram, nos dias 26 e 27 deste mês, num seminário sobre o “Atendimento Pré-Hospitalar em Pacientes Politraumatizados por A­cidentes de Viação”.

Consequências de acidentes de viação passam a ter melhores respostas nos hospitais
Fotografia: José Bule |Uíge

A formação, promovida pela direcção Provincial da Saúde do Uíge, em colaboração com o Instituto Nacional de Emergências Médicas, teve como objectivo preparar profissionais de saúde para atendimento urgente de pacientes politraumatizados por acidentes de viação.
A directora provincial da Saúde do Uíge, Luísa Cambuta, disse que, até ao final do ano, vai ser criada na província uma secção especializada para o atendimento urgente de pacientes que apresentem diversas facturas no corpo, porque  nos últimos meses o hospital central do Uíge está a receber vários casos de doentes politraumatizados por acidentes de viação.
“Esta situação remete-nos para uma maior colaboração com o Instituto Nacional de Emergências Médicas, na promoção desta acção formativa dirigida aos técnicos que vão assegurar o funcionamento da nova área a ser criada na sede provincial”, explicou.
Luísa Cambuta esclareceu que a secção de emergências médicas vai integrar, também, os técnicos de saúde das Forças Armadas Angolanas (FAA), Polícia Nacional e dos serviços provinciais de Protecção Civil e Bombeiros que participaram no seminário. As consequências de um mau manuseamento das vítimas com vários traumatismos em simultâneo, entre o local do acidente até a unidade hospitalar, são desastrosas. Por isso, esclareceu Luísa Cambuta, pretende-se formar mais técnicos para garantir uma assistência pré-hospitalar de qualidade, destinado aos doentes politraumatizados.
Renaldo Canumbila, orador na formação, disse que acções sobre o traumatismo acidental vão ser extensivas a todas as províncias do país, visto os casos de acidentes acontecerem em todo o país e dezenas de pacientes morrem por falta de primeiros socorros ou devido ao mau manuseamento dos sinistrados. “O nosso objectivo é ensinar como socorrer e superar urgentemente vários casos de doentes politraumatizados. Um técnico de saúde deve saber como manusear o doente com diversas fracturas a partir do local do acontecimento até ao hospital, e fazer a abordagem do politraumatizado nas urgências”, disse. Durante a formação, orientada por médicos especialistas do Instituto Nacional de Emergências Médicas, os participantes abordaram, entre outros temas, “O Suporte Básico da Vida”, “Manuseamento de um Paciente com Queimaduras”, “Importância da Assistência Urgente”, “Reanimação e Mobilização do Paciente”, e a “Vigilância Intens          iva”.

Tempo

Multimédia