Províncias

Telecomunicações ameaçadas no Uíge

Valter Gomes

Duas ravinas de pequenas dimensões estão a evoluir paulatinamente para a pista do aeroporto provincial, Manuel Quarta Punza, na cidade do Uíge, podendo danificar alguns equipamentos eléctricos e de telecomunicações.

Parte frontal do aeroporto do Uíge “Manuel Quarta Punza”
Fotografia: DR

Uma delegação interministerial, coordenada pelo secretário de Estado para Aviação Civil, Mário Domingues, constatou segunda-feira o nível de evolução das ravinas e assegurou que, por enquanto, não há situação preocupante ou perigosa que inviabilize a aterragem e circulação normal dos aviões.
Mário Domingues assegurou que dentro de dias as ravinas começam a ser estancadas, para evitar o pior e garantir segurança na pista.
“Constatamos que existe uma vala de drenagem na cabeceira da pista, onde as águas pluviais caem por sistema de gravidade, e a força da água está a fazer com que se abra a ravina, mas asseguramos que não há perigo que inviabilize a aterragem e circulação dos aviões”, disse. Segundo o secretário de Estado para Aviação Civil, há toda a necessidade de se tomar medidas imediatas para impedir a progressão de fissuras e pequenas aberturas à volta da pista.
Durante a sua estadia de algumas horas na cidade do Uíge, a delegação interministerial, acompanhada pelo governador provincial do Uíge, Pinda Simão, e membros do governo local, constatou ainda o andamento das obras do projecto habitacional da juventude, da estação de captação, tratamento e distribuição de água potável à centralidade do Quilumosso, bem como da subestação eléctrica da mes-ma centralidade.
O aeroporto Manuel Quarta Punza foi recentemente reabilitado, ampliado e equipado com meios de última geração. Possui dois mil metros de comprimento e mais de 40 metros de largura, uma aerogare e outros serviços necessários para os passageiros.

Tempo

Multimédia