Províncias

Trabalhos na linha restringem fornecimento

Joaquim Júnior| Uíge

O chefe de departamento de distribuição da Empresa Nacional de Electricidade (ENE) no Uíge, Mavembo Afonso, disse que as restrições de energia registadas nos últimos dias deveram-se aos trabalhos de requalificação efectuados nas redes de média e baixa tensão, em várias artérias da cidade e arredores.

Membros do Conselho Provincial constataram o trabalho que está a ser desenvolvido pela ENE para a melhoria da energia
Fotografia: Eunice Suzana| Uíge

Mavembo Afonso disse à imprensa no final da visita técnica e administrativa efectuada pelos membros do Conselho Provincial da Juventude à ENE que os trabalhos nas linhas de distribuição visam a melhoria do fornecimento de energia eléctrica à cidade e arredores.
“Estamos a trabalhar na extensão da rede de média e baixa tensão para que mais habitantes beneficiem do produto e por isso temos feito internamente algumas operações nos equipamentos para ultrapassarmos os constrangimentos que condicionam o fornecimento”, disse.
A cidade possui subestações que transformam diariamente cerca de 40 megawatts, potência que o responsável da ENE considerou suficiente para atender o centro da cidade e a maioria dos bairros da periferia, sem qualquer dificuldade.
O transporte da carga disponível requer um trabalho aturado de instalação de mais Postes de Transformação (PT), de acções de manutenção e outros componentes que permitem fazer chegar a corrente eléctrica às residências de forma regular. Os cortes constantes estão ligados a questões técnicas relacionadas com as linhas de distribuição. Parte das avarias surge da linha de transição que transporta a carga bruta ao Uíge e outros problemas estão relacionados com trabalhos internos, visto que algumas linhas de transição se encontram num estado meio crítico, necessitando de cuidados intensivos para evitar o pior. "Muitas vezes somos obrigados a efectuar cortes em determinadas áreas por causa dos clientes devedores. Outras falhas têm a ver com problemas técnicos, uma situação que é estudada pela ENE para compensar os prejuízos causados aos consumidores", disse.

Agências de pagamento

O chefe de departamento de produção da Empreesa Nacional de Electricidade a  no Uíge anunciou para breve a entrada em funcionamento de mais agências de pagamento de energia, além da criação de um núcleo de despachos que vai melhorar a colaboração entre o público e o piquete da empresa, para apresentação de reclamações.
Para prestar melhor trabalho aos consumidores, está em curso a construção e apetrechamento de agências de pagamento em algumas periferias da cidade. O núcleo de despachos vai atender as questões pontuais e fazer a recepção de informações dos clientes para o pessoal do piquete.
A secretária executiva do Conselho Provincial da Juventude do Uíge (CPJU), Luísa Quarta, considerou positivos os avanços registados no sector da Energia, tendo destacado o rejuvenescimento dos recursos humanos e a personalização dos serviços de fornecimento de energia.
Luísa Quarta mostrou-se igualmente satisfeita pela expansão da rede domiciliar e pública e deixou um apelo à população, sobretudo aos jovens, no sentido de não vandalizarem as redes eléctricas, postes e cabines de transformação.

Tempo

Multimédia