Províncias

Uíge aposta na formação contínua dos professores

António Capitão | Negage

A escola de formação de “professores do futuro”, afecta à organização não governamental Ajuda de Desenvolvimento de Povo para Povo (ADPP), iniciou na vila do Negage o novo ano lectivo, com a admissão de mais noventa alunos provenientes dos dezasseis municípios do Uíge.

Escola de formação admite mais alunos
Fotografia: Jornal de Angola

A escola de formação de “professores do futuro”, afecta à organização não governamental Ajuda de Desenvolvimento de Povo para Povo (ADPP), iniciou na vila do Negage o novo ano lectivo, com a admissão de mais noventa alunos provenientes dos dezasseis municípios do Uíge.Esse novo contingente de futuros professores vem juntar-se a outros 185, que estão a terminar o curso de formação média em pedagogia.
O director da escola, Mpaca Garcia, reafirmou, na oportunidade, o empenho da instituição na formação e capacitação de jovens professores, para trabalharem nas diversas comunidades rurais.
Mpaca Garcia disse que, além do combate ao analfabetismo no meio rural, a escola está apostada em fornecer ao Ministério da Educação docentes com formação pedagógica qualificada, para o exercício da profissão.“Nesta instituição já foram formados muitos jovens que hoje estão a dar o seu contributo em diversas localidades da província, em particular, e do país, em geral”, lembrou Mpaca Garcia, reiterando a disponibilidade da ADPP na contínua formação de professores.
A vice-governadora do Uíge para o sector político e social, Fernanda da Silva, destacou o contributo da ADPP, a quem chamou de “principal parceira do Executivo angolano na formação de quadros para o sector da educação, contribuindo assim para o combate ao analfabetismo e aumento de professores nas comunidades rurais”.
Fernanda da Silva recordou que a formação do homem novo é um desafio do Executivo angolano e que o processo de formação de professores visa garantir uma profunda mudança na educação e ensino dos cidadãos. “Todos aqueles que decidiram abraçar esta formação devem ter em conta que aprender para ensinar é uma tarefa difícil, que requer muita dedicação, responsabilidade e humildade”, concluiu Fernanda da Silva.

Tempo

Multimédia