Províncias

Uíge capacita formadores

Joaquim Júnior | Uíge

Funcionários do sector público e privado, na província do Uíge, num total superior a 70, participaram, nos dias 3 e 4 deste mês, num seminário de capacitação de operadores do sistema nacional de formação profissional, promovido pela direcção provincial do Ministério da Administração Pública, Emprego e Segurança Social (MAPESS).

 
Funcionários do sector público e privado, na província do Uíge, num total superior a 70, participaram, nos dias 3 e 4 deste mês, num seminário de capacitação de operadores do sistema nacional de formação profissional, promovido pela direcção provincial do Ministério da Administração Pública, Emprego e Segurança Social (MAPESS).
O seminário, que decorreu na sala de reuniões do comando provincial dos Bombeiros e Protecção Civil, visou uniformizar os métodos e sistemas de certificação profissional.
O vice-governador para o sector económico e produtivo, Manuel Correia Victor, destacou, na abertura do evento, a importância da realização do referido seminário, tendo em conta que o mesmo serviu para reforçar e actualizar os conhecimentos dos operadores sobre o Sistema Nacional de Formação Profissional, no domínio da gestão dos centros.
“Queremos, com este encontro, melhorar a qualidade dos serviços de modo a satisfazer os principais destinatários, sobretudo os jovens que precisam de melhorar o carácter de prestação profissional e, essencialmente, fortalecer o mecanismo de diálogo e de concertação social entre o MAPESS e os operadores do Sistema Nacional de Formação Profissional”, referiu.
Manuel Correia Victor disse que a maior preocupação do governo provincial prende-se com a grande utilidade dos serviços que os centros de formação profissional prestam e com o aproveitamento que deve ser dado aos formandos. De acordo com o governante, é preciso diversificar os currículos, contribuindo de forma relevante para um mercado de emprego mais aceitável, onde os jovens sejam preferencialmente absorvidos, podendo diminuir a taxa de desemprego que ainda se regista.
 “A província do Uíge vem registando uma grande inovação do nível académico das suas populações. Com a existência de mais centros de formação profissional e da Universidade, precisamos de estudar qual a melhor forma de encaminhar os jovens formados, quer do ponto de vista académico, quer do ponto de vista profissional”, disse.
Para Elisa Pedro, formadora gastronómica, a diversificação dos currículos profissionais na província é essencial, sendo que vai possibilitar aos formandos encontrar as preferências desejadas, evitando assim a deslocação para outras paragens à procura de outros cursos.
Garcia Mendes, participante, considerou de valiosa a formação, referindo que a mesma lhe permitiu trocar impressões sobre os modos de capacitação profissional vigentes no país.
“As Competências Profissionais”, “Referências de Competências de Formação”, “Estrutura Curricular Sem Progressão”, “Abertura de Centros de Formação–Requisitos e Documentação Necessária”, “Mapa Estatístico de Recolha de Dados” foram alguns dos temas abordados pelos participantes ao seminário, entre operadores que intervêm no Sistema Nacional de Formação Profissional, chefes dos recursos humanos das distintas instituições públicas e de alguns trabalhadores do sector económico da província.
No Uíge, a maioria dos centros de formação promove com maior relevância os cursos de administração pública, gestão empresarial,  marcenaria, carpintaria, corte e costura, decoração e informática.

Tempo

Multimédia