Províncias

Uíge com mais profissionais

Valter Gomes | Uíge

Uíge tem desde o início da semana 169 novos mestres de prestação de serviços formados em Culinária, Decoração e Informática, pelo Centro Cultural Santa Cruz, afecto à Igreja Católica.

Culinária, Decoração, Informática
Fotografia: O processo de formação de jovens desempregados está inserido no programa do Executivo de fomento do autoemprego nas comunidades

O coordenador do Centro Cultural Santa Cruz, Álvaro Daniel, disse que estão "com as portas abertas para receber todos os jovens interessados na formação profissional. O nosso centro prima pela qualidade, por isso estamos certos que as empresas que receberem os jovens por nós formados não vão arrepender-se de nada”, referiu.  Um dos formadores do centro, Serafim Barroto, elogiou as capacidades e dedicação demonstrada pelos jovens ao longo da formação e desejou muita coragem, sucesso, determinação, abnegação e saúde aos recém-formados.
Kiezaydico Pinto, 21 anos, que terminou o curso de culinária, agradeceu, em nome de todos os finalistas, o apoio e carinho dado pela direcção do centro, formadores e encarregados de educação, o que permitiu que a formação terminasse com êxito. “Solicitamos ao Executivo e às empresas privadas que haja mais oportunidades de emprego, para permitir que os conhecimentos adquiridos não se transformem em letra morta”, disse. Os novos técnicos pediram ainda a abertura de mais cursos e centros de formação profissional no Uíge, visto que na província existem milhares de jovens interessados em formar-se profissional e tecnicamente, mas infelizmente o número de vagas que estas instituições oferecem não correspondem à procura.
O Centro Cultural Santa Cruz funciona desde 2007 no Uíge e já pôs no mercado de trabalho 1.591 jovens, nas áreas de Informática, Software e redes, Inglês, Biblioteca, Auto-cad, Culinária e Decoração. Assistiram ao acto de encerramento alunos e professores do centro, familiares dos finalistas e convidados.

Tempo

Multimédia