Províncias

Uíge constrói milhares de escolas

Joaquim Júnior | Uíge

Os avanços registados no sector social, da Agricultura e Indústria, no Uíge, no quadro do Plano Provincial de Desenvolvimento (PPD), que compreende o quinquénio 2013/2017, foram destacados na quinta-feira pelo governador provincial. 

Aberta na província 18 escolas do II ciclo de ensino secundário, com destaque para algumas na comunas
Fotografia: MavitidiI Mulaza | Edições Novembro

Paulo Pombolo disse tal foi possível graças a um forte investimento em áreas tão sensíveis para a vida da província e dos seus habitantes, que ficam, assim, melhor servidos em qualidade de vida e com boas possibilidades para realizarem as suas apostas diárias.
Segundo o governador, o investimento permitiu recuperar mecanismos importantes na área industrial, reabilitar estradas intermunicipais, reactivar a produção de café e  potenciar a exploração das florestas.O cumprimento do Plano Provincial de Desenvolvimento (PPD) resultou num crescimento equilibrado e harmonioso na região. Paulo Pombolo que falava durante uma mesa redonda, organizada no âmbito dos 100 anos da fundação da cidade do Uíge, afirmou que as acções foram delineadas a pensar em opções estratégicas, as quais visam o reforço da articulação da província do Uíge com a capital do país, Luanda.
O governador disse que foram respeitados os indicadores de especialização produtiva, por forma a transformar a agricultura de subsistência num meio vital para abastecer principalmente o mercado regional e potenciar a industrialização dos produtos agrícolas.
“O Uíge é considerado um ponto de equilíbrio na região, dentro das preferenciais com as províncias de Luanda, Zaire e Malanje. Por isso, é urgente zelar pelos mecanismos que permitem intervir nas vias de comunicação e interligar os canais de escoamento da região”, disse Paulo Pombolo.
O governador Paulo Pombolo disse que os objectivos constam do fomento do desenvolvimento económico na província, que devem ser feitos através do apoio ao sector agrícola e do comércio, para atrair investidores na área industrial.
Acrescentou que  a criação de condições de acesso a infra-estruturas básicas e a viabilização dos investimentos privados na província devem obedecer a um critério rigoroso, para se continuar com o trabalho de reabilitação das vias de acesso ao interior da província.
O governador disse que o desenvolvimento do sector dos Transportes públicos, que facilita a mobilidade dos cidadãos, consta das prioridades do governo provincial. “O abastecimento de água, o saneamento básico figuravam, também, entre as principais prioridades.”
Paulo Pombolo disse que não foi possível concretizar todas as acções previstas no Plano Provincial de Desenvolvimento (PPD), que compreende o quinquénio 2013/2017), devido à crise económica e financeira.
O governador Paulo Pombolo afirmou que a província do Uíge tinha previsto uma despesa de 514 mil milhões 825.0440.073 de kwanzas, dos quais 125 mil milhões viriam de investimentos privados, mas encontrou uma série de complicações devido à conjuntura actual.
Sublinhou que a revisão do plano para inserir as acções que não foram concretizadas submeteu a situação a novos elementos que correspondem à realidade actual do país.

Sector social

A vice-governadora para o sector Político e Social, Maria Fernando da Silva e Silva, disse que a província conta agora com 6.759 salas de aula, entre novas e reabilitadas, as quais permitiram integrar no sistema de ensino geral 516.173 alunos.
Neste momento, 13.981 professores asseguram o ensino na província. Durante este período, foi possível a aquisição de meios de transporte em todas as direcções, grupos geradores para repartições e escolas do II ciclo, a municipalização do Serviço de Inspecção, que conta com 80 profissionais que têm facilitado a monitorização do ensino em toda a província do Uíge.
O governo provincial abriu 18 escolas do II ciclo do ensino secundário, com destaque para algumas comunas, e instalou bibliotecas escolares. Maria Fernando da Silva e Silva disse que, apesar deste esforço, ainda estão fora do sistema de ensino geral 13.843 alunos.
As autoridades acompanham os 2.840 alunos angolanos que estudam na vizinha República Democrática do Congo (RDC), residentes nas zonas fronteiriças de Maquela do Zombo, nas comunas de Sacandica e Béu, de Quimbele, região de Cuango e de Milunga, na comuna de Massau.
A governante disse que vai ser implementado o subsistema pré-escolar em todos os municípios e o enquadramento de mais cinco mil professores.
No capítulo da saúde, a governante destacou o controlo de 345 unidades sanitárias, entre as quais os hospitais provinciais, municipais, centros e postos de saúde, centros maternos infantis e unidades especializadas. Quanto ao sector de recursos humanos, a província conta actualmente com 247 enfermeiros, 22 médicos, 75 técnicos de enfermagem contratados e trabalhadores administrativos, totalizando 1.737 técnicos.

Agricultura e pecuária


O vice-governador para o sector Económico e Produtivo, Carlos Mendes Samba,  avançou que o cultivo de 473.330 hectares, com destaque para o crescimento da produção de tubérculos em três milhões e 603 toneladas e 298.823 de produtos diversos.
De realçar o aumento do número de produtores de café de 8.175 para 9.100, com uma área lavrada de 45.689 hectares. A produção do café comercial cresceu de 2.418 para 3.720 toneladas.
O pescado continental passou para 445.275 toneladas e o efectivo animal para 9.987 cabeças de gado bovino.

Província do Uíge

Uíge é uma província situada no extremo norte de Angola, Tinha como capital na época colonial, a cidade de Carmona. Esta desiganação foi criada em 1955 em homenagem ao ex-Presidente da República portuguesa, Óscar Carmona, falecido aos 18 de Abril de 1951. A cidade mantêm eszte nome até à independência de Angola em 1975. Nesta altura, o nome Carmona foi substituído por Uíge.

Tempo

Multimédia