Províncias

Uíge forma empreendedores

Nicodemos Paulo | Uíge

Mais de 90 jovens terminaram com sucesso o primeiro curso de empreendedorismo ministrado pelo Centro Local de Empreendedorismo e Serviços de Emprego (CLESE) no Uíge.

Na cerimónia de encerramento do curso os jovens receberam certificados e várias ferramentas profissionais que vão facilitar o trabalho
Fotografia: Mavitidi Mulaza | Uíge

O curso teve a duração de três meses e serviu para os formandos adquirirem capacidade técnica e profissional que os habilita a administrar pequenos negócios.
Na cerimónia de encerramento do referido curso, os formados receberam certificados e conjuntos de material profissional, além de outros meios, como computadores portáteis, impressoras e placas solares, que vão facilitar a realização do trabalho.
O vice-governador para os Serviços Técnicos e Infra-estruturas, Afonso Luviluco, disse aos jovens formandos que a formação profissional é a melhor via para a criação de empregos de auto rendimento. “Esta formação representa um grande passo na vossa formação técnico-profissional e vão dar o melhor contributo ao desenvolvimento do nosso país, criando oportunidades geradoras de rendimento”, disse.
O chefe do CLESE, Pedro Vicente Mussoco, referiu que, devido à necessidade de formar jovens com competências técnicas e profissionais, fortalecer a comunidade empresarial e estimular o crescimento económico e social com técnicos capazes, o centro está empenhado em dar conhecimentos em matérias como Empreendedorismo, Criação de Negócios, Gestão Financeira, Marketing e Vendas, Excel e Elaboração de Plano de Negócios, num total de 100 horas concluídas, em três meses de formação. Pedro Mussoco afirmou que várias empresas públicas e privadas da província, como bancos, empresas de construção civil e unidades hoteleiras, manifestam grande interesse em contratar os técnicos formados no CLESE.
Hélder José Lumbo, um dos formandos, disse que a formação vai ajudá-los a adoptar uma nova atitude profissional, uma vez que os conhecimentos absorvidos durante o período de formação são aplicáveis ao mundo empresarial. O jovem solicitou mais empenho do Governo na criação de outros centros semelhantes no interior da província.
Desde a sua abertura, em Agosto do ano passado, o Centro Local de Empreendedorismo e Serviços de Emprego (CLESE) já recebeu mais de mil candidaturas, encontrando-se neste momento em espera 464 jovens, que aguardam pelo arranque do segundo curso.

Tempo

Multimédia