Províncias

Várias toneladas de alimentos recolhidas no Uíge

Joaquim Júnior| Uíge

Cerca de 8,5 toneladas de alimentos foram recolhidas durante a primeira fase de uma campanha de solidariedade promovida pela Igreja Católica do Uíge a favor das populações afectadas pela seca no Sul do país.

A campanha de recolha de donativos está a ser correspondida de forma positiva pelos fiéis católicos e outros membros da sociedade
Fotografia: Eunice Suzana| Uíge

O bispo da Diocese do Uíge, D. Emílio Sumbelelo, disse sexta-feira que na primeira fase da campanha, entre 23 de Junho e 23 de Julho, foram recolhidas várias quantidades de fuba de milho, arroz, óleo vegetal, massa alimentar, água mineral e outros produtos.
Segundo o prelado, os produtos foram já entregues à direcção nacional da Caritas de Angola para a distribuição às províncias destinatárias e às populações.
O bispo disse que a segunda fase começou no dia 24 de Julho e vai prosseguir por um período mais extenso, até conseguir um grande número de doadores.
D. Emílio Sumbelelo disse que a campanha está ser correspondida de forma positiva pelos fies católicos e outros membros da sociedade civil, que todos os dias chegam às portas da Caritas Diocesana do Uíge e depositam os seus donativos.
Apesar disso, o bispo da Diocese do Uíge referiu que as quantidades recolhidas ainda são insuficientes para o número de cidadãos afectados pela seca.
“Aproximam-se as chuvas, mas as populações têm falta de mantimentos, porque não puderam colher nada por causa da seca”, frisou.
O prelado católico salientou que a seca, que fustiga mais de 800 mil pessoas do sul do país, deixou os campos agrícolas improdutivos e que a provisão alimentar da zona sul só pode ficar restabelecida depois de várias chuvas. Daí defender a contínua prontidão das pessoas para ajudarem as populações das províncias afectadas.
“Temos que realçar o gesto das crianças de algumas escolas do Uíge e do Negage, que contribuíram com garrafas de água mineral, bem como do comando da Região Militar Norte das FAA, que disponibilizou meios que permitiram transportar os bens recolhidos”, referiu o bispo.
A irmã Marivane Chiesa, directora da Caritas Diocesana do Uíge, informou que a recolha de donativos está a ser desenvolvida nas paróquias diocesanas, instituições escolares, estabelecimentos comerciais e por pessoas singulares.

Doação em números


A madre precisou que, durante a primeira fase, foram recebidos 142 sacos (de 25 quilogramas) de fuba de milho, 99 sacos de arroz, 50 sacos de feijão, 72 quilos de sal, 400 litros de óleo vegetal e 1.765 litros de água mineral, algumasquantidades de açúcar, massa alimentar, massa de tomate, sumos e bolachas.Em relação aos apoios recebidos em dinheiro, a directora da Caritas Diocesana do Uíge disse que a organização utilizou esses valores na compra de outros 175 sacos (de 25 kg) de fuba de milho, que foram adicionados ao conjunto já enviado para a Caritas de Angola. A madre católica informou que, durante o processo de recolha de donativos no Uíge, os doadores são registados uma ficha de recepção e entrega. Na segunda fase da campanha os serviços sociais da Igreja Católica no Uíge pretendem triplicar o número de toneladas da primeira fase.

Tempo

Multimédia