Províncias

Uíge com candeeiros e maior iluminação

Nicodemos Paulo | Uíge

Mais de três mil moradores da periferia da cidade do Uíge vão passar a ter electricidade em casa, graças à aquisição de 47 postos de transformação de energia pelo Governo Provincial, garantiu o responsável da subdirecção da Empresa Nacional de Electricidade na província.

A Empresa Nacional de Electricidade na província vai instalar postos de transformação de energia que vão permitir aos bairros terem iluminação pública e domiciliar
Fotografia: Filipe Botelho

Pedro Buca, que falava na II sessão Ordinária do Conselho Provincial de Auscultação e Concertação Social, disse que mais de 700 postos de iluminação pública vão, também, ser instalados nos próximos dias em várias artérias da zona periférica, como os bairros Catapa, Papelão, Quilala, Candombe e Cemitério. Durante o Conselho, cujos trabalhos foram orientados pelo governador provincial Paulo Pombolo, os participantes analisaram o grau de execução dos trabalhos de alargamento da rede de distribuição de água à cidade e arredores, o que vai permitir que sejam efectuadas duas mil novas ligações domiciliárias. O Conselho Provincial de Auscultação considerou positivas as melhorias alcançadas nos sectores da Saúde e Educação, uma vez que as novas infra-estruturas hospitalares e escolares foram construídas em vários municípios da província. Os participantes apreciaram o programa de distribuição de kits aos ex-militares e recomendaram ao IRSEM que dê continuidade ao processo, melhorando os mecanismos de distribuição para satisfazer as necessidades dos beneficiários. Relativamente à peste de pequenos ruminantes que assola alguns municípios, foi recomendado à direcção provincial da Agricultura e Desenvolvimento e ao Instituto de Desenvolvimento Florestal que promovam a vacinação dos animais e fiscalizem a exploração de madeira.O Conselho de Auscultação e Concertação Social sugeriu aos administradores municipais que melhorem os mecanismos de prestação de contas e acompanhem permanentemente os projectos de construção de casas sociais, tendo em conta os atrasos que se verificam no cumprimento dos prazos da entrega das obras. Em relação aos programas de aquisição de medicamentos na província, as administrações municipais foram orientadas no sentido de procederem à entrega dos planos de necessidades aos fornecedores, para que mais depressa sejam adquiridos os medicamentos e outros bens de que os hospitais necessitam.

Tempo

Multimédia