Províncias

Uíge forma agentes comunitários

O Fundo de Apoio Social (FAS) promove, desde ontem, nos municípios do Uíge, Negage, Dange-Quitexe, Maquela do Zombo e Sanza Pombo, seminários de capacitação de agentes de desenvolvimento comunitário e sanitário,

Agentes comunitários vão aprender a identificar comportamentos que põem em risco a saúde
Fotografia: Mavitidi Mulaza | Uíge

para desenvolverem acções de educação, promoção e prevenção de doenças nas comunidades peri-urbanas e rurais, informou ontem a directora provincial da Saúde. 
São, no total, 150 agentes em formação, 30 em cada um dos cinco municípios seleccionados, entre autoridades tradicionais, professores e estudantes. Durante 12 dias, os participantes abordam temas sobre a “Prevenção e contaminação de doenças diarreicas agudas”, “Paludismo”, “Desinfestação da água”, “Tratamento do meio e conservação de alimentos”, conteúdos ministrados por técnicos da Direcção Provincial da Saúde e do Instituto de Formação da Administração Local (IFAL).
Os agentes comunitários vão, também, aprender a identificar comportamentos de risco, como abate indiscriminado de árvores, acumulação de lixo junto das comunidades, a contaminação da água das cacimbas ou dos rios com resíduos tóxicos, e propor soluções ou encaminhar ao posto de saúde mais próximo.
A directora provincial da Saúde, Luísa Cambuta, afirmou que a formação de agentes comunitários é uma estratégia do sector, no âmbito das reformas do sistema nacional de Saúde, que tende a sair do paradigma predominantemente direccionado à cura para a prevenção de várias doenças, visando garantir o direito à saúde e à equidade, o que permitirá melhorar os indicadores de saúde.
“Os agentes de desenvolvimento comunitário e sanitário deverão sensibilizar as populações no sentido de se tornarem mais receptivas às campanhas de prevenção sobre as diferentes epidemias, promover o bem-estar físico e psicossocial das populações, evitar a entrada tardia de doentes em estado grave nas unidades hospitalares, para garantir a redução dos custos com a saúde”, referiu Luísa Cambuta.
O vice-governador provincial do Uíge para o sector Económico, Carlos Mendes Samba, disse, na abertura oficial dos seminários, que os agentes de desenvolvimento comunitário e de saúde têm como missão identificar os indivíduos ou famílias que vivem em zonas de risco e orientá-las para adopção de conceitos e hábitos saudáveis, assegurando que estas beneficiem, integralmente, dos serviços de saúde em funcionamento em várias localidades da província.
No Uíge, o Fundo de Apoio Social está a financiar projectos de construção de escolas e centros de saúde nos municípios da Damba, Negage e Sanza Pombo. Nos próximos dias a instituição prevê disponibilizar recursos financeiros para a construção de outros estabelecimentos escolares e unidades sanitárias, nos municípios de Maquela do Zombo, Dange-Quitexe e do Uíge.
O director provincial do FAS no Uíge, Diogo Mariano, disse que a instituição trabalha, também, na elaboração de Perfis Socioeconómicos dos 16 municípios que compõem a província, documento que vai servir para identificar os problemas e potencialidades de cada uma das municipalidades.

Tempo

Multimédia