Províncias

Uíge reforça plano curricular

António Capitão | Capitão

Os alunos do primeiro ciclo do ensino secundário dos municípios do Uíge, Negage, Quitexe e Songo vão aprender conhecimentos de finanças, para enfrentarem os novos desafios que se colocam aos angolanos, disse ontem na cidade do Uíge o chefe do Departamento de Administração e Gestão da Direcção Provincial da Educação, Ciências e Tecnologia.

Objectivo é orientar os consumidores na gestão dos rendimentos e prevenir fraudes
Fotografia: Dombele Bernardo

Alexandre Canica disse no encerramento de um seminário frequentado por 42 professores de Língua Portuguesa, Matemática, História, Inglês e Francês, que a educação financeira tem como propósito orientar os consumidores na gestão dos rendimentos, nas decisões de poupança, investimento, consumo e ajudar a prevenir situações de fraude.
A educação financeira, acrescentou, ganha importância com as mudanças políticas e económicas, bem como a complexidade dos mercados e produtos financeiros. “O actual contexto da economia mundial, provocado pela queda do preço do barril de petróleo no mercado internacional, tem obrigado o Governo a desenvolver esforços para ultrapassar muitas dificuldades”, disse Alexandre Canica.
A orientação financeira não vai ser introduzida como uma nova disciplina no plano curricular das escolas, mas os professores da 7.ª e 10.ª classes que frequentaram o seminário ficam incumbidos de transmitir conhecimentos sobre o tema nas suas aulas.
Durante quatro dias, os professores de Língua Portuguesa, Matemática, História, Inglês e Francês dos municípios do Uíge, Negage, Songo e Quitexe absorveram conhecimentos sobre os “conceitos da literacia financeira”, “bancarização e economia”, “decisão de compra” e “consumo consciente”. O professor Alexandre Quela destacou, em nome dos docentes, a importância do ciclo formativo e defendeu a introdução da educação financeira em todas as escolas da mprovíncia.
“Estamos melhor capacitados para podermos transmitir conhecimentos teóricos e técnicos sobre a educação financeira aos nossos alunos. Deste modo, vamos ajudar a criar uma sociedade mais apta”, garantiu o docente.

Tempo

Multimédia