Províncias

Uíje e Malanje já podem tratar novo BI

António Capitão | Uíje


 
O novo Bilhete de Identidade começou a ser emitido, na segunda-feira, no Uíje, Malanje, Huambo, Huíla e Bié, depois de Luanda, Cabinda, Bengo, Kwanza-Norte, Benguela e Kwanza-Sul.

Vice-governadora do Uíje exibe o seu novo Bilhete de Identidade
Fotografia: Filipe Botelho


 
O novo Bilhete de Identidade começou a ser emitido, na segunda-feira, no Uíje, Malanje, Huambo, Huíla e Bié, depois de Luanda, Cabinda, Bengo, Kwanza-Norte, Benguela e Kwanza-Sul.
No Uíje, o posto de emissão foi inaugurado pela vice-governadora para a esfera económica e social, Piedade Samuel Hebo, que foi a primeira a receber o novo Bilhete de Identidade, poucos minutos depois de ter cumprido as formalidades exigidas.
 “O novo Bilhete tem um formato mais bonito em relação ao anterior e a tecnologia que está a ser usada permite-me descartar a possibilidade da sua falsificação”, disse a vice-governadora.

Cem bilhetes por dia
 
O chefe do departamento de identificação civil da direcção provincial da Justiça, Garcia Sousa, assegurou que as condições técnicas e humanas estão criadas para a emissão contínua do novo Bilhete de Identidade na província. Referiu que pelo menos cem pessoas vão ser atendidas diariamente.
 Os técnicos que trabalham no posto de emissão estão devidamente formados. Em relação aos demais municípios, Garcia Sousa referiu que, numa primeira fase, vão ser usadas unidades móveis.
 
Cidadãos elogiam

Gouveia João de Sá Miranda, general e comandante da Região Militar Norte, recebeu o seu Bilhete de Identidade depois de 40 minutos. Satisfeito, o oficial general das FAA elogiou as inovações do novo BI, destacando sobretudo a segurança e a inviolabilidade do documento.
 “O Bilhete de Identidade é o único documento que pode justificar a nacionalidade de qualquer cidadão, por isso é o mais importante para qualquer pessoa. Agora, com a possibilidade de solicitar e levantá-lo na hora os angolanos têm assim a oportunidade de estarem todos documentados”, frisou.
 Margarida Manzambi, 26 anos, relata que não possuía nenhum documento de identificação pessoal. Há quinze dias efectuou o seu registo de nascimento, tendo conseguido obter a cédula pessoal e a certidão narrativa completa de nascimento, para além da respectiva cópia integral. Na manhã de segunda-feira, a jovem acorreu ao posto de emissão do novo BI.
Depois de cumpridos os trâmites legais, Margarida Manzambi obteve o seu Bilhete de Identidade. “Já me sinto uma verdadeira cidadã nacional. Muita gente, há algum tempo, depois de solicitar o bilhete esperava três ou mais meses para receber o documento. Mas hoje é diferente. Parabéns ao Governo pela inovação”, rematou.

Malanje

Na província de Malanje, o sistema de emissão do novo Bilhete de Identidade também foi inaugurado segunda-feira.
Durante a nossa reportagem, a cidadã Maria Adelaide disse que o novo sistema vai solucionar as inúmeras dificuldades que a população enfrentava para a obtenção do Bilhete de Identidade.
“Agora os cidadãos vão ter a possibilidade de tratar o Bilhete de Identidade e receber na hora, o que fará com que os “malanjinos” deixem de se deslocar para outras localidades do país, a fim de tratar o documento”, disse Maria Adelaide.
O governador provincial de Malanje, Boaventura da Silva Cardoso, agradeceu a iniciativa do Ministério da Justiça de integrar no seu plano a distribuição de brigadas móveis, que vão facilitar o desdobramento nos restantes pontos da província.
O director provincial da Justiça, Jorge Alípio, precisou que, para melhor prestação de serviço, foi criado um posto fixo para o município sede e três brigadas móveis que vão trabalhar, na primeira fase, nos municípios de Cacuso, Cangandala e Kalandula.
Documentos necessários

“No município sede da província prevê-se atender 50 cidadãos diariamente”, disse o director provincial da Justiça. 
Jorge Alípio explicou que, para a  aquisição do novo Bilhete de Identidade, o cidadão deve fazer-se acompanhar da certidão narrativa completa do assento de nascimento ou cópia integral. Caso não tenha assento de nascimento, pode solicitar o respectivo documento no posto de atendimento.
Quanto ao pagamento dos emolumentos, os cidadãos devem levar 280 kwanzas, excepto as crianças dos 6 aos 11 anos.

(*) Com Luísa Victoriano | Malanje

Tempo

Multimédia