Províncias

Universidade Kimpa Vita adopta modelo de acesso

Valter Gomes | Uíge

A Universidade Kimpa Vita, afecta à VII região académica, com sede na província do Uíge, criou um aplicativo para evitar o aglomerado de candidatos, nas suas instalações, que pretendem  ingressar no ensino superior, disse ao Jornal de Angola o responsável do Centro de Documentação e Informação daquela instituição (CDI), Augusto Lunganga.

Fotografia: Jaimagens/fotógrafo

Segundo Augusto Lunganga as vantagens do novo modelo de inscrição para  os exames de aptidão revestem-se na eficiência de tratamento de dados fornecidos em tempo real pelos aspirantes ao ensino superior,  no lançamento rápido das listas , relatórios, bem como o fornecimento oportuno de informação aos órgãos de tutela.
 O responsável  avançou o novo modelo para inscrição foi criado por docentes  e estudantes da  própria Universidade. " Este processo visa  dinamizar o processo de selecção e inscrição dos candidatos que ingressam pela primeira vez no ensino superior", explicou.
Para assegurar o funcionamento adequado do aplicativo foi criada uma equipa de 17 técnicos, repartida em dois grupos, sendo um para a província do Cuanza-Norte  e outra para o Uíge
Augusto Lunganga garantiu que o novo modelo permitirá também "reduzir e corrigir a quantidade de problemas" ao longo do processo de inscrição. "Neste modelo o candidato terá direito a fazer inscrições apenas em duas opções  e será examinado em três áreas de conhecimento, nomeadamente ciências de saúde, ciências exactas e ciências sociais", disse, acrescentando que  "as provas serão codificadas e inseridas no sistema informático, onde não haverá possibilidade de alguém alterar as notas."
Vagas disponíveis
Por outro lado, Augusto Langanga disse que a Universidade Kimpa Vita tem disponíveis 1.078 vagas, distribuídas em quatro unidades orgânicas nas províncias do Uíge e Cuanza-Norte, onde foram construídas novas salas de aulas  devidamente equipadas com meios informáticos que permitem  fazer inscrição e selecção dos candidatos sem os constrangimentos que se verificavam  nos anos anteriores, concretamente no que toca a morosidade de atendimento e processamento das matrículas. 

Novos cursos
O responsável  pela informação  do "Kimpa Vita"  disse que  no próximo  ano lectivo haverá  mais dois cursos, um de engenharia electrotécnica, que será ministrada na província do Cuanza-Norte,  e outro de engenharia  hidráulica e saneamento das águas  cujas aulas serão no Uíge. “A abertura destes dois cursos de engenharia conta com o apoio técnico e institucional do Ministério do Ensino Superior, bem como da cooperação francesa, que apoiaram na preparação dos planos curriculares e na formação dos coordenadores dos cursos”, disse o responsável do CDI da Universidade Kimpa Vita.
 Augusto Lunganga frisou ainda que um dos elementos que vai marcar estes dois cursos será a realização de práticas intensivas, estando em andamento um processo de cooperação entre a Universidade Kimpa Vita e a Empresa de Águas e Saneamento do Uíge, uma vez que a instituição pretende contar com o contributo de alguns engenheiros e técnicos da mesma  empresa. “Estes cursos vão contribuir  responder às necessidades do sector de engenharia no que toca aos recursos humanos", disse.
 Desde a sua criação, em 2011, a Universidade Kimpa Vita funciona com os cursos de Direito, Economia, Engenharia Informática, Agronomia, Enfermagem, Contabilidade e Gestão, Administração Pública, Informática de Gestão, Análises Clínicas e Saúde Pública. No ano académico findo a universidade  albergou 7.993 estudantes distribuídos em quatro unidades orgânicas e 228 docentes. Até ao momento já colocou à disposição do mercado de trabalho 758 licenciados em vários ramos do saber.
O reitor da Universidade Kimpa Vita, João da Silva, por seu lado,  reafirmou ao Jornal de Angola  o compromisso da instituição de  "continuar a formar profissionais competentes e comprometidos com a prática e o projecto social". Disse que no ano académico 2018 a instituição que dirige vai primar pela qualidade do ensino, com o auxílio através do seu novo gabinete de avaliação. " Vamos intensificar a formação integral do corpo docente, com preparação pedagógica, científica e metodológica de ensino", prometeu.
Na mesma senda disse ainda que a Kimpa Vita tem em agenda a  formação do pessoal técnico administrativo, "de modos a responder os desafios actuais, bem como melhorar a utilização dos recursos materiais e financeiros disponíveis".

Aderência massiva nos primeiros dias de inscrição

Augusto Lunganga disse que  nos primeiros três dias de inscrição  para as provas de exames a Universidade Kimpa Vita  registou 1.050  candidatos, que vão concorrer as 1.078 vagas. que estão distribuídos nos 11 cursos que a instituição tem, concretamente os de direito, economia, contabilidade e gestão, agronomia, administração pública, informática de gestão, engenharia informática, enfermagem, análises clínicas e os recém-criados de engenharia hidráulica e saneamento de águas, na escola superior politécnica do Uíge, e o de engenharia electrotécnica, a ser ministrado no  Cuanza Norte.
“A metodologia empreendida neste ano está a resultar, deu uma certa qualidade na prestação de atendimento aos candidatos.
Foi implementado um  software do sistema de gestão académica, desenvolvido por nossos docentes e estudantes do curso de engenharia informática. Portanto, isso evitou o fluxo de candidatos na sala de triagem de documentos e de inscrição, porque lá as pessoas esperavam no mínimo cinco  minutos ”, disse.
O curso de direito, segundo Augusto Lunganga,  é até ao momento o mais concorrido pelos aspirantes ao ensino superior naquela região, seguido-se os de economia, engenharia hidráulica, enfermagem e contabilidade e gestão e contabilidade, respectivamente.Com o  novo modelo para o processo de exames,  logo depois da inscrição, os dados dos estudantes passam a figurar na base de dados da plataforma de gestão académica de universidade, e em  24 horas depois do final do processo é possível a afixação das listas que indicam as salas onde os aspirantes vão realizar o exame de acesso.
Para dar maior celeridade ao processo  indicamos oito operadores para a triagem e 12 para as inscrições”, explicou o responsável.

Tempo

Multimédia