Províncias

Viajar por estrada está mais perigoso

Luísa Victoriano | Malange

O elevado número de acidentes de viação que se regista actualmente na província de Malange está a preocupar o comando provincial da Polícia Nacional.

Movimento do trânsito na avenida Comandante Dangereux onde as autoridades locais pretendem colocar quebra-molas por causa dos acidentes
Fotografia: Genivaldo da Fonseca

O elevado número de acidentes de viação que se regista actualmente na província de Malange está a preocupar o comando provincial da Polícia Nacional.
O subcomissário José Domingos Moniz, na qualidade de presidente da Comissão Provincial de Viação e Ordenamento do Trânsito, descreveu a situação como “dramática”, tendo em conta a ocorrência de acidentes durante o primeiro trimestre do ano em curso, e pediu aos condutores que acatem as medidas de prevenção rodoviária, para se evitar a sinistralidade nas estradas. “Actualmente, os acidentes verificados na província de Malange são uma das principais causas de mortalidade”, disse o comandante provincial da Polícia Nacional.
Segundo o subcomissário, foram registados, nos primeiros três meses do ano, 135 acidentes de viação dos quais resultaram 39 mortes, 168 feridos e danos materiais avaliados em mais de 17 milhões de kwanzas. Destes, 37 por cento envolveram veículos de duas rodas. Nesse mesmo período, contabilizaram-se ainda 37 atropelamentos, 21 choques entre veículos, 18 carros capotados, 17 despistes e 14 choques entre veículos e ciclomotores.

Redução dos acidentes

 O comandante da Polícia Nacional, José Domingos Moniz, revelou que, para inverter a actual situação, já foram dadas instruções aos agentes no sentido de ser incrementado o aumento da prevenção e fiscalização do trânsito, para diminuir o actual quadro de sinistralidade rodoviária, que tem provocado muitas vítimas.
Foram igualmente definidas tarefas para a administração municipal de Malange e para o Instituto Provincial de Estradas, e dadas directivas à direcção provincial das Obras Públicas para que seja feita a reposição dos sinais de trânsito e montadas quebra molas junto das comunidades e das escolas, para facilitar a travessia dos peões.
De acordo com o subcomissário José Domingos Moniz, a Polícia de Viação e Trânsito tem desenvolvido, em Malange, campanhas de sensibilização e educação rodoviária, dirigidas principalmente aos moto-taxistas, vulgo “kupapatas”, de maneira a reduzir o número de acidentes de viação e das vítimas nas estradas da província.
 
Ultrapassagens anárquicas
 
José Domingos Moniz disse que apesar dos trabalhos de sensibilização realizados pelos reguladores de trânsito, agentes da Ordem Pública, associações, ONG e meios de Comunicação Social na província, continua a verificar-se um comportamento indigno por parte dos automobilistas. O excesso de velocidade, o consumo de bebidas alcoólicas durante a condução, o não uso de capacetes, avarias mecânicas, inversões de marcha inadequadas, mudanças de direcção irregulares, assim como licenciamento dos meios e condução ilegal, verificados principalmente pelos condutores de motociclos, vulgo “ kupapatas”, foram apontados como as causas principais dos acidentes de viação.

Tempo

Multimédia