Províncias

Vila do Cubal está em pleno desenvolvimento

Sampaio Júnior| Cubal

O Cubal está a ganhar nova vida com o surgimento de infra-estruturas e equipamentos modernos, que melhoram a produção e a circulação de pessoas e bens no município, disse ao Jornal de Angola o chefe de repartição do Gabinete de Estudos, Planeamento e Estatística do governo, José Ekupi.

Educação é um dos sectores que mais cresceu nos últimos anos na comuna com o aumento de mais salas e professores
Fotografia: Sampaio Júnior| Cubal

O Cubal está a ganhar nova vida com o surgimento de infra-estruturas e equipamentos modernos, que melhoram a produção e a circulação de pessoas e bens no município, disse ao Jornal de Angola o chefe de repartição do Gabinete de Estudos, Planeamento e Estatística do governo, José Ekupi.
O município do Cubal recebeu do Banco Sol 375 milhões de kwanzas para o crédito agrícola, soma entregue aos camponeses, que têm sabido honrar os seus compromissos com aquela instituição bancária, referiu José Ekupi.
"Os beneficiários estão a ter resultados satisfatórios, fruto da formação que tiveram antes da recepção dos valores", disse o responsável. Esses conhecimentos permitem "uma aplicação racional e cuidadosa dos fundos", acrescentou. "Temos informações que dão conta que os camponeses estão a pagar ao banco o que devem", afirmou. José Ekupi disse ainda que os camponeses aplicaram bem o valor do crédito recebido, investiram na terra e os resultados são bons.

Aposta na agricultura

"Muitos comerciantes de outras regiões vêm ao Cubal comprar cereais, feijão, hortícolas e gado, para vender nas províncias do Huambo e Bié", disse José Ekupi, acrescentando que o comboio criou uma grande expectativa nos homens de negócios, que se servem do meio para transportar a maior parte da mercadoria, tornando o custo de escoamento menos oneroso.
O crescimento do Cubal, região com terras aráveis que permitem a produção em grande escala, passa pelo relançamento da agricultura, disse José Ekupi.
O maior orgulho dos habitantes da sede do município é o consumo de água potável, que já jorra nas torneiras das residências. A população deixou de fazer recurso directo ao Rio Cubal, de onde antes acarretavam água.
O projecto "Águas para todos" também já cobre as comunas, que, por via de chafarizes, distribui o precioso líquido à população de forma gratuita.
As autoridades municipais registam com interesse o regresso dos filhos da terra, que procuram montar no Cubal pequenos e grandes negócios. José Ekupi garante que, com o progresso da cidade do Cubal, surgiram novas oportunidades de emprego e negócios.

Ensino superior

Um núcleo do Instituto Superior de Ciências da Educação deve ser instalado no próximo ano lectivo no Cubal.O núcleo vai melhorar a situação dos estudantes do município, que hoje têm de percorrer centenas de quilómetros, até à cidade Benguela, para terem acesso ao ensino superior.
A Administração Municipal, disse José Ekupi, tem acautelado a realização de estudos de impacto ambiental para a implementação de projectos de desenvolvimento na região. "Temos como exemplo a instalação da fábrica de enchimento de gás butano da Sonangol. Foram realizados estudos e a fábrica funciona sem riscos para a população e para o meio ambiente", referiu.
A fábrica deu emprego a muitos jovens e fornece o produto às províncias do Huambo, Bie e os municípios limítrofes do Cubal.
O uso de gás butano diminuiu o recurso à lenha para a confecção de alimentos, o que traz benefícios para a população e para o ambiente na região.

Tempo

Multimédia