Províncias

Violência doméstica tende a aumentar

Cerca de uma dezena de actos de violência doméstica ocorreram no primeiro trimestre deste ano no município de Ambaca, anunciou ontem a responsável da secção da Família e Promoção da Mulher da administração local, Teresa Miguel da Silva.

Entre os 13 casos registados, mais quatro do que no período homólogo do ano passado, destacam-se quatro de fuga à paternidade e igual número de incumprimento de pensão de alimentos. Teresa Miguel da Silva fez notar que o aumento de casos notificados se deve ao facto de as vítimas estarem mais consciencializadas para a necessidade de efectuar a denúncia de situações de violência doméstica.
A responsável da secção da Família e Promoção da Mulher de Ambaca realçou que as vítimas tomaram consciência dos seus direitos e perceberam que o silêncio só protege os autores dos actos de violência doméstica. “Isto demonstra que há cada vez mais pessoas a reconhecerem que a melhor forma de resolução de conflitos familiares é mesmo o diálogo. É através dele que as pessoas se entendem e reconhecem que precisam melhorar em alguns aspectos”, disse.
Teresa da Silva frisou que, apesar da mudança de mentalidade, o trabalho de consciencialização deve continuar, porque ainda há mulheres que receiam sofrer represálias se denunciarem os maus tratos de que são vítimas pelo cônjuge. A responsável mostrou-se preocupada com o consumo excessivo de bebidas alcoólicas, por ser uma das principais causas de violência doméstica.

Tempo

Multimédia