Províncias

Zaire ganha novo Instituto Superior Politécnico

Jaquelino Figueiredo | Mbanza Kongo

Jovens da cidade de Mbanza Kongo têm mais oportunidades de concretizar o sonho de formação superior, com a abertura do primeiro Instituto Su- perior Politécnico Privado do Zaire (ISPPZ), disse, em entrevista ao Jornal de Angola, o director geral da instituição.

Estão criadas todas as condições para que o processo de ensino decorra sem sobressaltos
Fotografia: Garcia Mayatoko | Edições Novembro | Mbanza Kongo

Nguinamau Benjamin fez saber que o ISPPZ oferece vários cursos, distribuídos em dois departamentos de ensino, sendo um de Ciências Sociais e Humanas e outro de Engenharias. O Departamento de Ciências Sociais e Humanas tem disponíveis cursos de Direito, Psicologia Escolar, Psicologia Clínica, Psicologia do Trabalho, Psicologia Criminal, Gestão de Recursos Humanos, Gestão e Administração de Empresas, Economia e Contabilidade e Finanças. 

No Departamento das Engenharias, o candidato tem à disposição cursos de Engenharia Informática e Engenharia de Telecomunicações e Electrónica.
A par dos cursos mencionados, Nguinamau Benjamin fez saber que o ISPPZ tem todas as condições criadas para os cursos ligados à saúde, nomeadamente Enfermagem superior, Medicina Dentária e Análises Clínicas, cujas inscrições haviam sido canceladas pelas estruturas centrais, uma vez que está a ser elaborado um regulamento inter-ministerial, que vai balizar a formação nesta área.
“No último encontro que tivemos em Benguela com o secretário de Estado para o Ensino Superior avançou-se que se está a criar um regulamento inter-ministerial entre os Ministérios do Ensino Superior, o da Saúde, bem como a Ordem dos Médicos e dos Enfermeiros, onde vão estar plasmadas todas as condições para a abertura do curso de saúde”, avançou.
De acordo com Nguinamau Benjamin, para a implementação dos referidos cursos na região, o ISPPZ conta com uma infra-estrutura erguida de raiz e dispõe de 42 salas de aula, biblioteca, laboratórios, oficinas e área administrativa.
As aulas no ISPPZ começaram no passado dia 16, com 1.527 estudantes do primeiro ano, subdivididos em três turnos, estando a inauguração oficial prevista para este mês.
No concernente ao corpo docente, Nguinamau Benjamin avançou que o ISPPZ conta com 44 professores, entre os quais um expatriado (cubano), sendo que esse número poderá aumentar em função da procura.
Nguinamau Benjamin considerou a abertura da primeira instituição privada de ensino superior em Mbanza Kongo como uma mais-valia para a região, na medida em que os jovens da província e não só encontram uma diversidade de cursos, que antes não tinham oportunidade de frequentar localmente, sendo obrigados a procurá-los em outras províncias.
“O nosso propósito é cobrir o défice que a província vive no âmbito do ensino superior. Doravante, os jovens da província encontram aqui oportunidades de formação em diversas áreas do saber, para contribuírem no processo de desenvolvimento do Zaire”, acrescentou.

Laboratórios equipados

O ISPPZ?conta com um conjunto de laboratórios equipados. Na área de Engenharia dispõe de um laboratório de Informática e outro para Engenharia de Telecomunicações e Electrónica.
De acordo com o director geral do ISPPZ, apesar de não se ter aberto os cursos de Saúde, a instituição dispõe de um conjunto de laboratórios, nomeadamente um para Medicina Dentária, um para Análises Clínicas e outro para Enfermagem.
“A par de laboratórios, temos igualmente uma biblioteca, com 5.400 livros diversos”, avançou.
No domínio de infra-estruturas complementares, o director geral do ISPPZ em Mbanza Kongo disse que têm em carteira um projecto para a construção de um internato, para os estudantes provenientes de outras paragens do país, bem como residências para os docentes não residentes.
“Estamos a construir o anfiteatro e um restaurante, para depois avançarmos para a construção de residências, tanto para estudantes em regime de internamento, como para os docentes não residentes”, acrescentou.
A qualidade, como avançou, consta das políticas da instituição de ensino superior na região, uma vez que se fala muito nos últimos tempos da debilidade do ensino no país, pelo que o Executivo angolano está apostado em melhorar o sistema e o ISPPZ não deve ser excepção, pelo que vai apostar em docentes com competências reconhecidas no mundo da docência.
“Estamos a primar pelos docentes de qualidade, por isso vamos apostar na formação ou superação dos professores, em jornadas pedagó-
gicas e científicas, em cursos de agregação pedagógica, no sentido de capacitá-los cada vez mais”, avançou.

Estudantes matriculados
Estudantes universitários admitidos para o primeiro ano académico no ISPPZ mostram-se satisfeitos pela oportunidade de frequentarem cursos com que sempre sonharam para melhor contribuírem para o processo de desenvolvimento da província do Zaire.
Emanuel José, estudante matriculado no curso de Psicologia do Trabalho, considerou ser uma mais-valia, na medida em que o ISPPZ trouxe mais diversidade em áreas de formação, pelo que, num futuro breve, a região vai contar com diversos quadros para o processo de desenvolvimento.
“É vantajosa a abertura deste instituto. Gostaria de formar-me em Arqueologia, mas, como não há este curso, matriculei-me em Psicologia do Trabalho, porque também foi sempre um dos meus sonhos, assim poderei contribuir para o desenvolvimento do país”, frisou.
Por seu turno, a estudante Zinha Serafim, matriculada no curso de Psicologia Clínica, mostrou-se satisfeita com a presença de mais uma instituição de ensino superior na província, porque veio preencher um vazio.
“Gostei imenso da abertura 
“Gostei imenso da abertura deste Instituto, porque veio colmatar um vazio que existia em termos de diversidade de cursos, porque só existia a universidade pública, a 11 de Novembro. Nas escolas não existem psicólogos clínicos, após a minha conclusão poderei contribuir nesta área”, avançou Zinha Serafim.

Tempo

Multimédia