Províncias

Activistas combatem a discriminação

O projecto “Mais igualdade, menos discriminação” mobilizou 25 educadores comunitários do município de Mbanza Kongo, para um seminário sobre o estigma e discriminação de pessoas vivendo com HIV/Sida, Promovido pela Rede Mulher/Angola, em parceria com o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento, na província do Zaire.

O projecto “Mais igualdade, menos discriminação” mobilizou 25 educadores comunitários do município de Mbanza Kongo, para um seminário sobre o estigma e discriminação de pessoas vivendo com HIV/Sida, Promovido pela Rede Mulher/Angola, em parceria com o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento, na província do Zaire.
Os 25 educadores comunitários participam desde ontem, na capital do Zaire, no seminário que está a tratar de matérias ligadas ao HVI/Sida, principalmente na sensibilização das comunidades, visando reduzir o estigma e a discriminação de pessoas portadoras da doença.
Alexandrina Lopes, activista da Rede Mulher/Angola, afirmou, em declarações à Angop, que a sua organização já está a desenvolver o projecto desde Janeiro, devendo estender-se a todas as províncias até ao final do ano.
Durante dois dias, os participantes vão abordar, entre outros temas, “o HIV e o Sida”, o “HIV no local de trabalho”, “Exercícios pré teste e pós teste”, “O estigma e a discriminação”.
Esta é a primeira acção de formação que a Rede Mulher/Angola desenvolve na província do Zaire.

Tempo

Multimédia