Províncias

Administrador condena a exploração de crianças

Victor Mayala |Mbanza Congo

O administrador municipal de Mbanza Congo, condenou no último fim-de-semana a presença, nos últimos tempos, nas ruas da cidade, de um elevado número de crianças na venda de produtos.

O administrador municipal de Mbanza Congo, condenou no último fim-de-semana a presença, nos últimos tempos, nas ruas da cidade, de um elevado número de crianças na venda de produtos. Falando aos jornalistas sobre os preparativos das festas da cidade, Ângelo dos Passos disse que o surgimento do fenómeno, nunca antes verificado entre as famílias da região, está a preocupar as autoridades, uma vez que as crianças devem estar na escola e não a vender na rua.
Ângelo dos Passos explicou que a situação constitui uma exploração de trabalho infantil, jurídica e socialmente condenável e exortou os pais e encarregados de educação que estão a mandar para as vendas de rua os seus filhos para evitarem esta atitude que está a pôr em causa o desenvolvimento sadio das crianças.
“Estão a aparecer muitas crianças nas ruas a zungarem com as banheiras cheias de ovos cozidos e outros produtos. São mandados pelos adultos, estamos preocupados com a esta situação e esperemos que todos os munícipes ajudem a eliminar este comportamento”, disse Ângelo dos Passos que repudiou também a atitude negativa de algumas pessoas que estão a escrever nas paredes dos edifícios públicos e casas da cidade de Mbanza Congo.  Ângelo dos Passos disse que a Administração Municipal vai tomar medidas sérias contra quem anda a escrever nas paredes, uma vez que a situação já é do conhecimento da Polícia Nacional: “falamos com as autoridades tradicionais, famílias e a juventude e vamos tomar medidas sérias contra quem escrever nas paredes porque em Mbanza Congo nunca houve pessoas que fizessem isto”, referiu.

Tempo

Multimédia