Províncias

Administrador perspectiva ano melhor

A implementação de pequenas indústrias para a transformação de produtos alimentares, construção de uma subestação de energia eléctrica e a reabilitação das vias, constam das acções prioritárias da Administração Municipal do Tomboco, na província do Zaire, para este ano, garantiu ontem o administrador da circunscrição.

Mais energia eléctrica para o município
Fotografia: António Soares|Edições Novembro

António Cavungo, que fez um balanço das acções realizadas em 2016, considerou um ano produtivo, apesar da crise económica e financeira que inviabilizou a concretização de vários projectos sociais. Sublinhou que, ainda assim, foi possível reabilitar o hospital municipal, construir uma nova central eléctrica, ampliar o edifício da administração municipal do Tomboco.
O administrador municipal reconheceu que com a entrada em funcionamento desses serviços melhorou substancialmente o atendimento à população e proporcionou comodidade aos funcionários públicos locais. António Cavungo destacou a boa colaboração, empenho e dedicação dos munícipes na busca de soluções dos principais problemas que ainda inquietam às populações da circunscrição.
“Apesar da conjuntura económica e financeira que o país vive, tivemos um ano coroado de êxitos, fruto da unidade e colaboração de todos. Precisamos fortificar ainda mais esta união para a concretização dos projectos em carteira para este ano”, augurou. O município do Tomboco dista  150 quilómetros da cidade de Mbanza Congo e conta com um população de 46.025 habitantes, distribuídos pelas  comunas de Kinsimba, Kinzau e Sede.

Chuvas dificultam circulação


As constantes chuvas que caem desde o princípio deste ano sobre a cidade de Mbanza Congo, capital da província do Zaire, estão a criar sérias dificuldades a circulação de pessoas e automóveis, sobretudo na periferia desta urbe.
Numa ronda efectuada ontem pela Angop em alguns bairros desta histórica cidade, constatou-se o mau estado das vias caracterizado por charcos de águas e lama, bem como a abertura de crateras em algumas ruas dos bairros 11 de Novembro, Álvaro Buta, Martins Kidito e 4 de Fevereiro. O actual cenário das vias suburbanas de Mbanza Congo, na sua maioria de terra batida, inquieta os moradores da periferia que apelam para a necessidade de as autoridades competentes imprimirem maior dinamismo na sua reabilitação.
Parte da via asfaltada que liga o largo do Monteiro ao Nosso Super no sentido ascendente está por baixo da lama e resíduos sólidos, que foram arrastados na noite de quarta-feira devido a intensa chuva que caiu sobre à cidade.
João Mpembele, ancião de 72 anos, residente no bairro Álvaro Buta, expressou a sua preocupação face a degradação das vias de acesso à sua área de jurisdição e apela à inversão da situação.
“Temos estado a acompanhar os trabalhos de reabilitação de algumas vias da nossa cidade. Gostaríamos que fossem abrangidas todas as ruas do nosso bairro que se encontram degradadas”, solicitou.
António Lelo, morador do bairro 4 de Fevereiro, disse que algumas vias do seu bairro tornaram-se intransitáveis nos últimos dias devido as constantes chuvas que se abatem na localidade, dificultando, deste modo, a circulação de peões e automóveis.
O Governo Provincial do Zaire tem vindo a implementar a nível das seis sedes municipais um programa de reabilitação das vias urbanas, com vista a melhorar a circulação de pessoas e automóveis, assim como o saneamento das cidades e vilas da região.

Tempo

Multimédia