Províncias

Angolanos repatriados da RDC submetidos a exames médicos

Jaquelino Figueiredo | Soyo

O sector da Saúde Pública do Soyo realizou, esta semana, uma campanha no município para detectar casos de tripanossomíase entre os angolanos expulsos compulsivamente da República Democrática do Congo.

O sector da Saúde Pública do Soyo realizou, esta semana, uma campanha no município para detectar casos de tripanossomíase entre os angolanos expulsos compulsivamente da República Democrática do Congo.
O chefe de secção da Saúde Pública do Soyo, José Pedro Cristina, afirmou que a campanha decorre em todas as regiões fronteiriças da província do Zaire e tem a finalidade de detectar doentes de tripanossomíase, conhecida como doença do sono, e evitar o contágio no território nacional.
Durante os dois dias que os técnicos de saúde trabalharam na sede municipal foram observados 551 angolanos vindos da RDC. Os resultados dos exames feitos deram negativo.
 O trabalho estendeu-se, desde ontem, à comuna da Pedra de Feitiço, a cerca de 145 quilómetros da cidade do Soyo. “A campanha, que não tem data para o seu término, tem como objectivo, constituir barreiras para que não haja casos de tripanossomíase entre os regressados, uma vez que o Baixo Congo é uma área endémica”.  “A redução de casos da doença deve-se à colocação, pelo sector sanitário da região, de armadilhas para a captura da mosca transmissora da doença”, disse.

Tempo

Multimédia