Províncias

Autoridades provinciais da Saúde confirmam a existência da doença

Jaquelino Figueiredo | Soyo

As autoridades sanitárias do município do Soyo, província do Zaire, confirmaram a existência de 79 casos de cólera, entre crianças e adultos, quatro dos quais terminaram em morte.

Director clínico Garcia Diawampovesa
Fotografia: Jaquelino Figueiredo|Soyo

As autoridades sanitárias do município do Soyo, província do Zaire, confirmaram a existência de 79 casos de cólera, entre crianças e adultos, quatro dos quais terminaram em morte.
De acordo com o director clínico do Hospital Municipal do Soyo, Garcia Diawampovesa, os resultados das amostras enviadas ao laboratório nacional, em Luanda, confirmaram a existência do vibrião colérico a nível da localidade do Soyo, desde finais de Janeiro.
Segundo o director clínico do Hospital  do Soyo, neste momento a região regista casos esporádicos na cidade, com destaque para os bairros da Paróquia, Kungue-Yenguele, Kukala-Kiaku e Pinda.
Para o tratamento da doença, Garcia Diawampovesa adiantou que o Hospital Municipal está à altura de atender todos os pacientes que procuram os seus serviços. “Temos técnicos preparados para tal e fármacos, como soros e antibióticos”.
Segundo Garcia Diawampovesa, os cidadãos devem incrementar as medidas de higiene, sobretudo a lavagem das mãos e frutas de consumo directo, tratar a água com lixívia ou fervê-la. Deve-se ainda evitar o excesso de lixo em casa e primar pela construção de latrinas. Para as pessoas que evidenciarem diarreias e vómitos, Garcia Diawampovesa, aconselhou os familiares a  procurarem  os serviços hospitalares, para ser analisada e tratada pelos técnicos de saúde.
A doença teve origem nas ilhas de Zola e Bucolo e propagou-se através de pescadores residentes naquelas localidade, segundo o director clínico do Hospital do Soyo.

Tempo

Multimédia