Províncias

Cabeças de gado bovino são importadas da RDC

Miguel Baú | Mbanza Congo

As organizações TOPGEL, na comuna do Luvo, em Mbanza Congo, adquiriram 345 cabeças de gado bovino, da raça Ndama, oriundas da República Democrática do Congo (RDC), para o relançamento da criação de gado bovino na província do Zaire, interrompido durante décadas, devido ao conflito armado que assolou o país.

Gado importado do Congo nas fazendas das organizações "Topgel"
Fotografia: Adlfo Dumbo/Mbanza Congo

As organizações TOPGEL, na comuna do Luvo, em Mbanza Congo, adquiriram 345 cabeças de gado bovino, da raça Ndama, oriundas da República Democrática do Congo (RDC), para o relançamento da criação de gado bovino na província do Zaire, interrompido durante décadas, devido ao conflito armado que assolou o país.
Os animais estão a ser transportados por tranches e neste momento foram já efectuados dois carregamentos, um de 112 e outro de 106 cabeças, perfazendo 218 que a empresa apascenta na sua fazenda de dez hectares.
António Pedro Gorgel, sócio gerente, explicou que o processo de transporte do gado da RDC vai ser feito em quatro fases, para permitir que a manada se adapte às condições climatéricas da zona. “Dentro de alguns dias vamos concluir a primeira fase do carregamento, uma vez que os animais que já chegaram estão bem adaptados às condições do local”, frisou.
O empresário afiançou que algumas fêmeas estão prenhas, o que permite prever um futuro auspicioso em termos de crescimento do gado na região. O interlocutor adiantou que a empresa pretende, após a conclusão do processo de transporte do gado, construir um matadouro e um talho na cidade de Mbanza Congo.
Na passada quinta-feira, uma delegação da direcção da Agricultura e Desenvolvimento Rural, encabeçada pelo seu responsável provincial, Paixão Esteves, visitou a fazenda, a fim de verificar as condições existentes para a criação dos animais.
Ao falar à imprensa, Paixão Esteves louvou a iniciativa da TOPGEL, que investiu na pecuária, “actividade de suma importância para o desenvolvimento da região em particular e do país no geral”.
Paixão Esteves exortou outros empresários a seguirem o exemplo e garantiu que a sua direcção vai prestar apoio a iniciativas do género, com vista a incentivar as pessoas que queiram trabalhar no ramo. Paixão Esteves assegurou que os técnicos veterinários afectos à direcção da Agricultura estarão, sempre que necessário, prontos para apoiar os empresários criadores de gado.

Tempo

Multimédia