Províncias

Casco urbano e periferia sem aglomeração de lixo

Uma nova operadora de recolha e tratamento de resíduos sólidos no casco urbano e na periferia da cidade de Mbanza Kongo, província do Zaire, entrou em funcionamento desde o princípio deste mês de Agosto, possibilitando a 40 jovens a obtenção do primeiro emprego.

Operadora melhora imagem da cidade de Mbanza Kongo
Fotografia: Eduardo Pedro | Edições Novembro

O responsável da empresa, Madaleno Arone Kamangandu, disse que a operadora vai também  responsabilizar-se  pela pintura de lancis das principais artérias desta cidade Património Mundial da Humanidade. Nas principais vias foram colocados 20 contentores plásticos de um metro cúbico de lixo no casco urbano e 10 de cinco metros cúbicos na zona sub-urbana.
Madaleno Arone Kamangandu  deu a conhecer que a recolha de lixo na via pública passa a ser feita num único período, das seis às 14 horas, frisando que a recolha de resíduos passa a ser feita através de um camião basculante, um compactador, uma retroescavadora, entre outros meios.
O responsável pela operadora prometeu mudar a actual imagem da cidade de Mbanza Kongo, caracterizada por focos de resíduos sólidos em diferentes cantos, pedindo a colaboração da população na manutenção da limpeza e higiene e a absterem-se de vandalizar os contentores de lixo colocados à sua disposição.
O chefe de secção de limpeza pública e espaços verdes da administração municipal, João Lima, recordou que a cidade ficou cerca de um ano sem uma operadora responsável pela limpeza e recolha do lixo, tendo, durante esse período, esta tarefa sido executada por uma brigada da Administração Municipal de Mbanza Kongo.
João Lima justificou a interrupção dos trabalhos da primeira empresa contratada para o efeito pelo Governo Provincial com dificuldades de ordem financeira.

Tempo

Multimédia